Estudantes potiguares estão preocupados com a suspensão do Sisu e ProUni

Com a liminar de suspensão da divulgação do resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), estudantes potiguares estão aflitos por não conseguirem acessar o site para saber se foram ou não selecionados para o curso que pretendiam.

O cronograma do Sisu programava esta terça-feira (28) para divulgação do resultado. Agora, a data segue sem previsão. A Advocacia-Geral da União (AGU) recorreu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) para anular a decisão, nesta segunda-feira (27), mas até o momento não teve nenhum parecer.

Wagner Santos, de 19 anos, teve problema na nota de matemática, solicitou a correção ao Ministério da Educação (MEC) e não teve retorno. “Ela foi abaixo da média e não pude me inscrever em nenhum curso de universidade que exigia nota mínima. Estou muito prejudicado com essa situação”, comentou.

Aguardando uma decisão final da Justiça, o estudante Anderson Mendes, de 19 anos, diz que está apreensivo com o resultado, pois alegou depender desta informação para decidir seu futuro. “Eu não tenho muito o que fazer nesta situação, pois só o ministro é quem tem alçada para resolver algo. O jeito é esperar. Mas confesso que estou preocupado com tudo isso”, revelou.

Segundo Anderson, que quer cursar Física, os demais alunos da Escola Estadual Professor Josino Macedo, onde estuda, também estão com o mesmo problema.

Procurada, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte disse que, até o presente momento, não recebeu nenhuma notificação do MEC sobre a suspensão do resultado do Sisu. “Estamos com a informação do calendário anteriormente divulgado. Dessa forma, aguardamos comunicado do Ministério sobre a situação. Nosso cronograma de cadastramento permanece mantido, com início nesta quinta-feira (30)”, detalhou a pró-reitora de Graduação da UFRN, Maria das Vitórias de Sá.

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte (IFRN) e a Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) também não receberam informações do MEC sobre o assunto e, por enquanto, seguem com o calendário de matrículas normalmente.

A incerteza está presente nos projetos de Joyce Varela, que fez o Enem pela terceira vez. Para ela, não saber do resultado a deixa descrente de seus sonhos. “Depositamos meses de nossas vidas para os estudos com o objetivo de viver melhor, realizar projetos pessoais e profissionais. Ser tratada sem compromisso, não me faz acreditar de que eu possa tentar isso”, desabafa.

Fonte: Agora RN

28 de janeiro de 2020 - 17:25h

Morre Flavio Goldemberg, diretor do ‘The Voice Kids’, aos 58 anos

O diretor geral do The Voice Kids, Flavio Goldemberg, morreu na madrugada desta terça-feira, (28) aos 58 anos, em decorrência de um enfarte. Ainda não há informações sobre o velório.

Além da competição infantil, ele estava à frente de Popstar, cuja terceira temporada terminou em 2019. A gravação da próxima fase de batalhas do The Voice Kids foi adiada.

Flavio iniciou sua carreira na emissora em 1981, onde atuou como produtor por 17 anos. Conduziu produções como Armação Ilimitada, produziu os especiais musicais Amigos e shows de Paul McCartney, Eric Clapton, Julio Iglesias, Rock in Rio e Leandro & Leonardo.

Em janeiro de 2010, ele retornou à Globo, e fez parte de programasd como Big Brother Brasil, Hipertensão, Malhação (2010), o quadro Vídeo Game do Vídeo Show, The Voice Brasil, Superstar, Popstar e The Voice Kids.

“Hoje perdemos um parceiro, um amigo de vida. O Flavio fazia tudo com o coração e paixão. Amava a profissão e levava a vida sorrindo. Essa felicidade transbordava para além da tela da TV. A gente sorria e se emocionava. Ele vai fazer muita falta e deixar uma legião de amigos. Vai em paz Flavio, agora tire um tempo para surfar nas ondas do paraíso”, lamentou em nota o diretor JB Oliveira, o Boninho.

Fonte: Agora RN

28 de janeiro de 2020 - 17:22h

Em dois anos, 43 pessoas são resgatadas de trabalho escravo no RN

Condições degradantes de trabalho, sem local para dormir, alimentar-se e pausas para descanso, além da imposição de dívidas que limitam a liberdade, foram situações encontradas em operações que resultaram no resgate de 43 trabalhadores de condições análogas às de escravos entre 2018 e 2019 no Rio Grande do Norte, segundo o Ministério Público do Trabalho. De acordo com o órgão, a soma supera todos os casos registrados desde 1995.

Os números são um alerta, no Dia Nacional de Combate ao Trabalho Escravo, lembrado em 28 de janeiro, porque superam o total de casos registrados entre 1995 e 2017. Nesse período de 22 anos, 36 trabalhadores tinham sido resgatados em situação análoga à escravidão no estado.

As operações realizadas em 2018 e 2019 flagraram “condições de vida e trabalho que aviltam a dignidade do ser humano e caracterizam situação degradante”, de acordo com um dos relatórios dos procuradores.

As forças-tarefas se concentraram em cerâmicas e na extração da palha da carnaúba, atividades encontradas na região do Vale do Assú, área de competência da Procuradoria do Trabalho no Município (PTM) de Mossoró.

Nenhum trabalhador encontrado nas frentes da carnaúba, por exemplo, havia sido registrado. Os arregimentadores também não forneciam quaisquer equipamentos de proteção individual, apesar dos riscos que envolvem a atividade, e não havia qualquer controle de jornada de trabalho.

Os gastos com alimentação eram descontados dos trabalhadores e, ao final de cada quinzena, cada um recebia entre R$ 300 e R$ 350, de acordo com a produção da equipe.

Em uma das frentes, foram encontrados trabalhadores obrigados a dormir no interior do baú de caminhão velho, que também servia como local de moagem.

De acordo com a procuradoria, os trabalhadores dessas frentes são, na maior parte das vezes, contratados em outras cidades e transportados irregularmente em grupos para as propriedades onde atuam, ficando alojados nesses locais ou nas proximidades. Os “ranchos” são os locais que eles identificam com sombra de árvores para armar redes para descanso e pernoite, e para preparar e fazer as refeições. Nos espaços encontrados pelas operações, não havia nenhum tipo de estrutura física, seja de alvenaria, madeira ou outro material, para servir de alojamento.

Fonte: G1 RN

28 de janeiro de 2020 - 17:20h

Homem passa um ano preso no lugar de outra pessoa no RN

Um homem passou quase um ano preso no lugar de outra pessoa no Rio Grande do Norte, segundo informou a Defensoria Pública do Estado. Condenado pelo crime de furto, ele ganhou direito ao regime aberto em fevereiro de 2019, mas um mandado de prisão expedido no Pará com o seu nome o manteve detido de forma errada.

De acordo com o órgão, o mandado na verdade era destinado para um homem que tinha o nome parecido com o do preso no Rio Grande do Norte. As mães dos dois são homônimas, ou seja, têm o mesmo nome, o que pode ter facilitado o erro. Após a constatação do equívoco, o homem só foi solto no último dia 21 de janeiro.

De acordo com a Defensoria, o preso potiguar tinha sido condenado por furto em 2012. Na época, a pena determinada foi de prisão em regime aberto por dois anos. No entanto, o réu vivia em situação de rua e não foi encontrado para cumprir as determinações judiciais. Com isso, a Justiça decretou a prisão dele, que foi cumprida pela polícia em outubro de 2018.

Em fevereiro de 2019, após verificação do caso pela juíza responsável, a soltura dele foi determinada, para que pudesse cumprir a pena em regime aberto, mas o homem continuou preso por haver outra ordem de prisão expedida pelo Tribunal de Justiça do Estado do Pará.

A família do preso procurou a Defensoria Pública para ter informações a respeito da detenção. Foi quando o erro acabou descoberto. Segundo a defensora Paula Braz, responsável pelo caso, o homem não foi colocado em liberdade por força de um mandado de prisão expedido erroneamente em seu nome.

“Constatamos que havia esse mandado, mas a família alegou que o homem nunca nem esteve no estado do Pará, o que nos levou a buscar mais informações”, afirmou.

Após contato com a Defensoria Pública do Estado do Pará, foi contatado que o mandado teve como origem uma ordem de prisão destinada a outra pessoa, mas que houve erro no momento da expedição do documento.

Apesar de terem mães homônimas – ou seja, com o mesmo nome – o cidadão do Rio Grande do Norte e o verdadeiro acusado do processo do Pará possuem nomes apenas parecidos.

Após pedido realizado pela Defensoria Pública do Pará, o juiz reconheceu o erro e recolheu o mandado de prisão. Assim, o potiguar foi colocado em liberdade.

Fonte: G1 RN

28 de janeiro de 2020 - 17:18h

Cidades do RN receberão recursos extras para combater doença de chagas, leishmaniose e malária

Os municípios de Caraúbas e Marcelino Vieira, no Oeste Potiguar, receberão 30 mil e R$ 10 mil, respectivamente, para o fortalecimento de ações de combate à malária, leishmaniose e doença de chagas. No total, 434 municípios em 24 estados brasileiros irão receber R$ 35,5 milhões repassados pelo Ministério da Saúde.

De acordo com a pasta, foram contemplados os municípios com maior número de casos das doenças nos últimos anos. Além do RN, cidades nos estados do Acre, Alagoas, Amazonas, Amapá, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraíba, Piauí, Paraná, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Sergipe, São Paulo, Tocantins, Distrito Federal e Espírito Santo, também receberão repasses.

Para a malária, foram considerados municípios prioritários, aqueles que apresentaram 80% da carga da doença, de acordo com os dados do Sistema de Informação de Vigilância Epidemiológica da Malária (Sivep-Malária) e do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) nos meses de janeiro a outubro de 2019.

Os locais prioritários para Leishmaniose visceral foram definidos de acordo com o índice que leva em conta diferentes variáveis, como número de casos e taxa de incidência gerados pelo Sistema de Informação Leishmanioses nas Américas (SisLeish) da OPAS/OMS. Em 2018, 3,4 mil casos foram confirmados em todo o país.

Para a Doença de Chagas, foram considerados municípios prioritários, levando em conta uma análise de vários critérios, incluindo internação e mortalidade, além de vulnerabilidade para a transmissão vetorial domiciliar e incidência de casos agudos. Em 2018, 380 casos agudos da doença foram confirmados no país.

Fonte: Agora RN

27 de janeiro de 2020 - 18:25h

Chuva faz mais de 10 mil pessoas deixarem suas casas no Espírito Santo

Alfredo Chaves, o governador Casagrande ,Espírito Santo,chuvas

Os estragos causados pelas fortes chuvas que atingem parte do Espírito Santo já forçaram 10.089 pessoas a deixarem suas casas, mesmo que temporariamente. Nove pessoas morreram desde que as chuvas se intensificaram, no último dia 17, no estado.

Segundo a Secretaria estadual da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), até as 11h de hoje (27), havia 8.777 pessoas desalojadas, ou seja, tiveram que deixar suas casas e se abrigar na casa de parentes, amigos ou buscar outras opções temporárias.

Os desabrigados eram, até aquele momento, 1.312, e estão acomodadas provisoriamente em abrigos públicos improvisados, na maioria dos casos, em escolas ou igrejas.

Nem todos os novos casos registrados são de pessoas afetadas nas últimas horas. Como a relação é feita pela Sesp, e as prefeituras demoram algum tempo a comunicar as ocorrências registradas, algumas destas pessoas podem ter sido obrigadas a deixar suas casas logo nos primeiros dias de chuva forte

De acordo com a Defesa Civil, o tempo continua instável nesta segunda-feira, com previsão de pancadas de chuva em todas as regiões, embora menos frequentesmente no litoral norte do Estado. Com base em dados do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), a Defesa Civil estadual também alerta para o alto risco de novos deslizamentos de terra entre hoje e amanhã, devido à continuidade das chuvas e ao fato de o solojestar muitp encharcado.

A região sul do estado continua sendo a mais afetada. Em Alegre, a cerca de 200 quilômetros da capital, Vitória, já foram registrados 2.300 desalojados e 250 desabrigados. Além disso, as autoridades monitoram ininterruptamente a situação da barragem Francisco Gros, cuja empresa responsável, a Statkraft, segundo a prefeitura, reconheceu o risco de rompimento e decretou situação de emergência nas instalações da barragem também conhecida como São João.

Em Alfredo Chaves há 1.984 pessoas desalojados. Em Iconha, 1.919 pessoas estão na mesma situação e outros 58 moradores da cidade tiveram que ser levados para abrigos improvisados em igrejas. Em Vargem Alta, há 1.051 pessoas desalojadas e 58 desabrigadas. As três cidades, além de Rio Novo do Sul, decretaram estado de calamidade pública – situação já reconhecida pelos governos estaduais e federal.

Uma vez reconhecida a situação de emergência ou o estado de calamidade pública, os gestores municipais e estaduais podem contratar serviços temporários e efetuar compras consideradas essenciais para o enfrentamento da situação sem a obrigatoriedade de realizar processo licitatório. O reconhecimento federal da situação de emergência também permite às prefeituras pedir recursos da União para ações de socorro, assistência às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução.

Além disso, os moradores de áreas afetadas diretamente prejudicados podem acessar mais facilmente a alguns benefícios sociais e auxílios, inclusive financeiros, oferecidos pelos governos municipais, estaduais e federais.

Fonte: Agência Brasil

27 de janeiro de 2020 - 18:21h

Acordo entre Governo e MPRN prevê convocação de mais candidatos aprovados no concurso da PM

O Governo do Estado e o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) assinaram um termo de ajustamento de conduta (TAC) para convocar mais uma turma com candidatos aprovados para o curso de formação de praças da Polícia Militar. A medida visa ampliar a quantidade de mulheres, segundo o governo. Já segundo o MP, o objetivo é reduzir o déficit da corporação.

Apesar de o edital prevê mil vagas, deverão ser convocados os 1.339 aprovados nas seis etapas. O documento, no entanto, só prevê início do novo processo de formação 2021.

O acordo legal foi assinado na sexta-feira (24) pela governadora Fátima Bezerra e a procuradora-geral de Justiça adjunta Elaine Cardoso. O TAC atende uma demanda apresentada pelas mulheres desde a abertura do concurso em 2018, pois o edital, seguindo uma legislação da década de 1990, reservou apenas 62 das mil vagas para mulheres. A nova turma de formação, segundo o termo, incluirá todos os aprovados nas seis etapas da seleção que não entraram na primeira chamada.

A quantidade de candidatos aprovados que serão chamados para a turma de 2021 ainda será definida, pois depende diretamente do prosseguimento da atual formação. Ao fim do processo seletivo foram aprovadas 1339 pessoas, sendo 1070 homens e 268 mulheres.

O curso de formação dos alunos-soldados foi iniciado na primeira semana de janeiro. Desde 2005 o Estado não realizava um processo de formação para o quadro de praças da PM-RN. Os novos soldados homens e mulheres vão ajudar a diminuir o déficit de pessoal. Atualmente, a Polícia Militar contar com pouco mais de 7,3 mil agentes ativos.

O curso terá 240 dias letivos, com a previsão de encerramento em meados de setembro. As aulas de instrução estão sendo realizadas no Centro de Formação de Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) da PM-RN e no Centro de Atenção Integrada à Criança (Caic).

Fonte: G1 RN

27 de janeiro de 2020 - 18:10h

Com resultado do Sisu suspenso, UFRN adia recebimento dos documentos de novos alunos

A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Prograd/UFRN) suspendeu temporariamente o recebimento eletrônico prévio da documentação dos alunos ingressantes, que teria início nesta segunda-feira (27), até a divulgação do resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O resultado era previsto, pelo calendário do Ministério da Educação (MEC), para esta terça-feira (28), mas foi suspenso pela Justiça.

Na noite deste domingo (26), a presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), desembargadora Therezinha Cazerta, rejeitou pedido da AGU para derrubar a decisão que suspende a divulgação do Sisu. Com a decisão do TRF-3, segue em vigor a liminar (decisão provisória) concedida pela Justiça Federal de São Paulo – que impede que os resultados sejam divulgados na terça-feira (28).

A divulgação do resultado da seleção está em disputa judicial após o Ministério da Educação (MEC) admitir que houve erro na correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. As notas do Enem são critério para concorrer a uma das 237,1 mil vagas em universidades públicas, disputadas pelo Sisu. Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a falha afetou quase 6 mil candidatos.

Procuradas pelo G1, as demais instituições potiguares que têm ingresso pelo sistema unificado informaram que ainda aguardam posicionamento do Ministério da Educação sobre o assunto, mas a situação preocupa. No IFRN, por exemplo, o ano letivo tem início previsto para o dia 6 de fevereiro e instituição considera que poderá começar o período sem os novos alunos matriculados.

De acordo com a pró-reitora de Graduação da UFRN, Maria das Vitórias de Sá, até a manhã de segunda (26), o MEC não enviou qualquer comunicado sobre alterações de datas, após a suspensão do resultado realizado pela Justiça.

“Estamos com a informação do calendário anteriormente divulgado. Dessa forma, aguardamos comunicado do Ministério sobre a situação. Nosso cronograma de cadastramento permanece mantido, com início nesta quinta-feira, 30”, afirmou.

A Pró-reitoria de Graduação da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) também informou que segue o calendário do MEC e por isso aguarda um posicionamento do ministério. Até a publicação desta reportagem, a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) não tinha um posicionamento oficial sobre possíveis alterações nas datas estabelecidas.

Fonte: G1 RN

27 de janeiro de 2020 - 18:08h

RN registra aumento de 68,9% nos casos de zika, dengue e chikungunya

O número de casos prováveis de dengue, zika e chikungunya registrados no Rio Grande do Norte aumentou 68,9% em todo o ano de 2019. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap), os registros passaram de 32.980 em 2018 para 55.704 ao longo de todo o ano passado.

Os dados da Subcoordenadoria de Vigilância Epidemiológica (Suvige) foram divulgados nesta quinta-feira (23). O boletim encerrado em 28 de dezembro de 2019 aponta para a notificação de 39.056 casos suspeitos de dengue, com 10.792 confirmações, o que representa uma incidência de 1.122,62 casos por 100 mil habitantes.

Em todo o Rio Grande do Norte, o período do ano com maior incidência de dengue aconteceu entre 19 de maio a 31 de agosto, quando foram notificados 20.554 casos suspeitos de dengue.

Quanto a chikungunya, foram notificados no Estado 15.402 casos suspeitos, sendo confirmados 6.310.

Com relação ao zika vírus, foram registrados 1.246 casos prováveis. Foram confirmados 81 casos e descartados 397.

A subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, destaca a prevenção dessas doenças. “É necessário que todos tomem as medidas de prevenção à proliferação do mosquito Aedes aegypti: receber o agente de combate às endemias em suas residências, eliminar água de vasos de flores, tampar tonéis e tanques, não deixar água acumulada, manter caixas de água e fechadas e colocar o lixo em sacos plásticos, entre outras”, encerra.

Fonte: Agora RN

24 de janeiro de 2020 - 8:57h

Trabalhadores têm até 31 de março para fazer saque imediato do FGTS

Quem ainda não fez o saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) tem até 31 de março para resgatar o dinheiro.

O saque começou a ser liberado em setembro de 2019 de acordo com o mês de aniversário do trabalhador. Agora, o valor já está disponível para todos que têm direito e ainda não fizeram a retirada.

O saque imediato prevê a retirada de R$ 998 para quem tem até este valor de saldo em contas ativas ou inativas vinculadas ao FGTS. Para aqueles que têm saldo acima desse valor, o limite de saque é de R$ 500.

Fonte: Agora RN

24 de janeiro de 2020 - 8:56h