UFRN desenvolve lente de contato mais eficiente contra conjuntivite e glaucoma

A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) desenvolveu uma lente de contato capaz de liberar medicamentos de várias classes terapêuticas, tais como antibióticos, antifúngicos e anestésicos, e que promete melhorar o tratamento de pacientes com uma liberação controlada da medicação, diretamente sobre a córnea, que tem como consequência direta uma maior comodidade terapêutica.

O produto oftalmológico é produzido a partir de hidrogéis de poliálcool vinílico, um polímero solúvel em água e um agente reticulante, o trimetafosfato de sódio. Neste sistema, é então incorporado um medicamento.

“Essas lentes de contato podem ser usadas no tratamento de diversas doenças oculares, tais como conjuntivite, glaucoma e ceratite fúngica. O que define é a medicação incorporada à lente de contato oftálmica”, explicou Fábia Julliana Jorge de Souza, uma das pesquisadoras envolvidas.

No vídeo abaixo, Fábia dá outros detalhes a respeito da pesquisa. O produto é fruto da dissertação da mestranda do Programa de Pós-Graduação de Ciências da Saúde e os experimentos foram desenvolvidos no Laboratório de Sistemas Dispersos (LaSiD), vinculado ao Departamento de Farmácia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Fonte: Agora RN

4 de março de 2020 - 12:21h

Com resultado do Sisu suspenso, UFRN adia recebimento dos documentos de novos alunos

A Pró-Reitoria de Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (Prograd/UFRN) suspendeu temporariamente o recebimento eletrônico prévio da documentação dos alunos ingressantes, que teria início nesta segunda-feira (27), até a divulgação do resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu). O resultado era previsto, pelo calendário do Ministério da Educação (MEC), para esta terça-feira (28), mas foi suspenso pela Justiça.

Na noite deste domingo (26), a presidente do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3), desembargadora Therezinha Cazerta, rejeitou pedido da AGU para derrubar a decisão que suspende a divulgação do Sisu. Com a decisão do TRF-3, segue em vigor a liminar (decisão provisória) concedida pela Justiça Federal de São Paulo – que impede que os resultados sejam divulgados na terça-feira (28).

A divulgação do resultado da seleção está em disputa judicial após o Ministério da Educação (MEC) admitir que houve erro na correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019. As notas do Enem são critério para concorrer a uma das 237,1 mil vagas em universidades públicas, disputadas pelo Sisu. Segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, a falha afetou quase 6 mil candidatos.

Procuradas pelo G1, as demais instituições potiguares que têm ingresso pelo sistema unificado informaram que ainda aguardam posicionamento do Ministério da Educação sobre o assunto, mas a situação preocupa. No IFRN, por exemplo, o ano letivo tem início previsto para o dia 6 de fevereiro e instituição considera que poderá começar o período sem os novos alunos matriculados.

De acordo com a pró-reitora de Graduação da UFRN, Maria das Vitórias de Sá, até a manhã de segunda (26), o MEC não enviou qualquer comunicado sobre alterações de datas, após a suspensão do resultado realizado pela Justiça.

“Estamos com a informação do calendário anteriormente divulgado. Dessa forma, aguardamos comunicado do Ministério sobre a situação. Nosso cronograma de cadastramento permanece mantido, com início nesta quinta-feira, 30”, afirmou.

A Pró-reitoria de Graduação da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa) também informou que segue o calendário do MEC e por isso aguarda um posicionamento do ministério. Até a publicação desta reportagem, a Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) não tinha um posicionamento oficial sobre possíveis alterações nas datas estabelecidas.

Fonte: G1 RN

27 de janeiro de 2020 - 18:08h