PRF apreende ônibus escolar que levava adolescentes para fazer título de eleitor no interior do RN

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) reteve um ônibus escolar que transportava adolescentes para fazer o título de eleitor em Caicó, na região Seridó potiguar. De acordo com a corporação, o caso será remetido ao Ministério Público Federal por suspeita de desvio de finalidade. O caso aconteceu durante a operação “Volta às Aulas”, que ocorreu nacionalmente entre a segunda-feira (9) e a terça-feira (10) para fiscalizar os transportes escolares.

O veículo pertence ao município de Ouro Branco, na mesma região de Caicó, e estava com 35 adolescentes. Em nota, o município informou que os estudantes são atendidos pelo Núcleo de Apoio ao Adolescente, que tem, entre outros objetivos, conscientizar e mobilizar os jovens sobre a importância do documento eleitoral, dentro do programa do Selo Unicef, do qual a cidade faz parte.

Para realizar a ação, o ônibus teria sido solicitado à Secretaria Municipal de Educação.

Ainda durante a operação, segundo a PRF, foram fiscalizados 37 veículos de transporte escolar, nas regiões seridó e metropolitana de Natal. Do total fiscalizado, 27 foram retidos e recolhidos ao pátio, por irregularidades diversas. Entre os veículos retidos, 21 eram ônibus do programa “Caminhos da Escola” e outros seis da iniciativa privada.

No decorrer da fiscalização, foram detectadas várias irregularidades, dentre elas, a falta de autorização para realizar o transporte escolar, o não uso do cinto de segurança, defeito no tacógrafo ou a falta do disco e a falta de extintor de incêndio.

Fonte: G1 RN

12 de março de 2020 - 8:13h

Placas com padrão do Mercosul entram em vigor em todo o país

Após sucessivos adiamentos, começa a valer nesta sexta-feira (31) o prazo para uso obrigatório da placa do Mercosul em veículos de todos os estados.

A data está de acordo com o que estipula a Resolução nº 780/2019 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), de julho do ano passado, que determina a adoção do novo modelo de placas de identificação veicular (PIV) a partir de 31 de janeiro de 2020. Segundo o Ministério da Infraestrutura, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) que não aderir ao novo padrão, não conseguirá emplacar novos veículos.

A nova placa será obrigatória apenas nos casos de primeiro emplacamento. Para quem tiver o modelo antigo, a troca deverá ser feita no caso de mudança de município ou unidade federativa; roubo, furto, dano ou extravio da placa e nos casos em que haja necessidade de instalação da segunda placa traseira.

Nas outras situações, a troca da placa cinza pela do padrão Mercosul não é obrigatória. Com isso, os carros com a atual placa cinza podem continuar assim até o fim da vida útil do veículo.

O novo modelo apresenta o padrão com quatro letras e três números, o inverso do modelo atualmente adotado no país, com três letras e quatro números. O novo modelo permite mais de 450 milhões de combinações, o que, considerando o padrão de crescimento da frota de veículos no Brasil, pode levar por mais de 100 anos.

Também muda a cor de fundo, que passará a ser totalmente branca. A mudança vai ocorrer na cor da fonte para diferenciar o tipo de veículo: preta para carros de passeio, vermelha para os comerciais, azul para os oficiais, verde para veículos em teste, dourado para os automóveis diplomáticos e prata para veículos de colecionadores.

Todas as placas deverão ter ainda um código de barras dinâmico do tipo Quick Response Code (QR Code) contendo números de série e acesso às informações do banco de dados do fabricante e estampador do produto. O objetivo é controlar a produção, logística, estampagem e instalação das placas nos respectivos veículos, além da verificação de sua autenticidade.

“O novo emplacamento seguirá a lógica da livre concorrência, não havendo definição de preços por parte do governo federal. Na prática, os Detrans estaduais vão credenciar empresas capacitadas para não só produzir as placas como também vendê-las ao consumidor final. Portanto, o proprietário do veículo poderá buscar o valor mais em conta na hora de adquirir o item”, informou o ministério.

Desde que foi decidida a adoção da placa do Mercosul, a implantação no registro foi adiada seis vezes. A decisão foi anunciada em 2014, e a medida deveria ter entrado em vigor em janeiro de 2016. Disputas judiciais levaram ao adiamento da adoção da placa para 2017. Mais prazo foi dado para que os órgãos estaduais de trânsito pudessem se adaptar ao novo modelo e credenciar as fabricantes das placas.

As novas placas já são usadas na Argentina, no Uruguai e no Paraguai. Dos 26 estados brasileiros, já aderiram ao modelo Mercosul o Acre; o Amazonas; a Bahia; o Espírito Santo; a Paraíba; o Paraná; o Piauí; o Rio de Janeiro; Rondônia; o Rio Grande do Norte e o Rio Grande do Sul.

“Atualmente são quase 5 milhões de veículos emplacados com a nova PIV. O governo federal estima que, até o fim de 2023, o Brasil já esteja com quase toda sua frota circulando com a nova placa”, informou a assessoria do Ministério da Infraestrutura.

Fonte: Agência Brasil

31 de janeiro de 2020 - 8:47h

[VÍDEO] Carros colidem de frente e um explode em Jucurutu; pelo menos duas pessoas morreram


Um acidente do tipo colisão frontal envolvendo dois carros, registrado na tarde deste domingo (19), na BR-226, deixou pelo menos 3 pessoas mortas, sendo dois adultos e uma criança.

No local, que é distante cerca de 13 quilômetros da cidade de Jucurutu, um veículo Siena, colidiu com o Fox de cor branca e placas MOH3720.

O primeiro carro, era conduzido por Tomaz Magno da Silva, de 34 anos, que levava sua esposa, Ana Maria Bezerra de Medeiros e os filhos Raniere Tarcísio F. Silva (morto no local) e Artur Felipe. O casal e o segundo filho, foram socorridos e transferidos para Natal.

No segundo carro, estavam, Aldo dos Santos Filho e Maria Ioderlândia Arruda, que morreram carbonizados. Seus dois filhos, Aldo José dos Santos Neto e André Felipe, foram socorridos e transferidos para Natal.

A informação não oficial sobre o acidente dá conta que o condutor do veículo Siena, invadiu a faixa de contramão na tentativa de fazer uma ultrapassagem e colidou com o carro de Aldo Filho.

Populares que passavam no local prestaram o socorro inicial às vitimas.

O Corpo de Bombeiros e Samu de Caicó, foram acionados e estiveram no local. As chamas foram contidas.

A Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal e Itep, estiveram no local para os levantamentos das informações.

Matéria: Sidney Silva

19 de janeiro de 2020 - 19:09h

Após matar homem em acidente, motorista embrigado é espancado junto com o pai e o tio na Grande Natal

O motorista que matou um homem em um acidente na Grande Natal nesta quinta (5), o pai dele, que ia no banco do passageiro, e um tio foram espancados após a colisão. O tio está em situação grave, internado na UTI do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, o condutor estava embriagado e está preso.

Um homem morreu e duas pessoas ficaram feridas no acidente, que aconteceu na BR-101, na altura do bairro Boa Esperança em Parnamirim. João Batista da Silva, de 46 anos, morreu após ser atropelado. Ele era carregador e aguardava no local um caminhão chegar para ir trabalhar.

A PRF disse que o Voyage que causou o acidente vinha do centro de Parnamirim em direção à rodovia, perdeu o controle e bateu em um carrinho de lanches que estava em frente a uma parada de ônibus. Outro veículo, um Mille, também foi atingido.

O condutor do Voyage apresentava sinais de embriaguez. Ele seguia com o pai no automóvel. Depois da colisão, os dois apanharam de pessoas que estavam presenciaram o acidente. O carro também foi depredado.

Um tio do motorista passava pelo local, viu a situação e reconheceu os parentes. O homem foi tentar ajudar os dois, porém também foi espancado. Ele foi agredido com uma pedrada na cabeça e teve fraturas nas costelas e no braço. Pessoas filmaram toda a situação.

A delegada Renata Costa, que investiga o caso, disse que é difícil identificar os agressores, porque a tentativa de linchamento foi na rua, no meio da BR-101. Mas afirmou que os vídeos serão analisados pela Polícia Civil nas investigações das agressões.

Fonte: G1 RN

6 de dezembro de 2019 - 7:03h