SpaceX lança satélites Starlink e quebra novo recorde

Com o lançamento de sua 100ª missão na manhã desta terça-feira, que levou mais um lote de 58 satélites Starlink (totalizando 652 já lançados) ao espaço, a SpaceX quebrou mais um recorde: o maior número de vezes que um foguete foi reutilizado. O primeiro estágio do Falcon 9 lançado nesta manhã voou, e foi recuperado, seis vezes.

O primeiro estágio usado nesta terça-feira, número de série B1049, voou pela primeira vez em 10 de setembro de 2018, e seu voo mais recente havia sido em 4 de junho deste ano. Trata-se de um Falcon 9 Block 5, projetado para ser reutilizado em até 10 missões sem a necessidade de grande reforma.

O Falcon 9 tem dois estágios. O primeiro tem nove propulsores Merlin 1D e é responsável por levar o foguete até uma altitude de 70 km, em média. Ele então se separa do segundo estágio, que irá levar a carga até a órbita terrestre, e retorna para um pouso controlado em solo ou em uma das balsas autônomas da SpaceX. O segundo estágio não é recuperado.

Recentemente a SpaceX obteve sucesso em recuperar também as duas metades da carenagem que protege a carga no nariz do foguete, peças que juntas são avaliadas em US$ 6 milhões. Elas retornam à Terra com a ajuda de para-quedas e são capturadas pelos barcos GO Ms. Tree e GO Ms. Chief, equipados com gigantescas “redes” para suavizar o pouso.

Segundo a SpaceX, a produção de um novo primeiro estágio de um Falcon 9 representa até 60% do custo de um lançamento, e sua reusabilidade é crucial para a estratégia da empresa de baratear o acesso ao espaço. Atualmente a SpaceX está concentrando seus esforços no desenvolvimento da Starship, espaçonave que espera usar para estabelecer uma colônia em Marte.

Fonte: Olhar Digital

18 de agosto de 2020 - 15:06h

Saiba o que é a tecnologia 5G

A tecnologia 5G é um novo padrão para dispositivos móveis que trará mudanças tanto quantitativas quanto qualitativas na forma como as pessoas utilizam esses aparelhos, permitindo novas funcionalidades e um incremento significativo do número e da velocidade das conexões.

O padrão sucessor do 4G começa a ser adotado neste ano em alguns países do mundo. No Brasil, o governo vai realizar um leilão para selecionar as operadoras que ficarão responsáveis pela oferta do serviço de conectividade utilizando essa tecnologia e em que áreas deverão atuar.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) abriu consulta pública para receber contribuições ao edital de licitação das faixas de frequência para a oferta de serviços móveis baseados em 5G. Ela ficará aberta a comentários até o dia 17 de abril.

A Agência Brasil explica o que é a tecnologia 5G e que tipo de mudanças ela pode trazer para usuários, instituições, empresas e para o setor de telecomunicações como um todo.

Clique aqui e veja a matéria completa.

30 de março de 2020 - 10:00h

Saiba o que são pagamentos por QR code e cashback

Entrevista Mirian Belchior,ministra

Com o desenvolvimento de tecnologias da informação e comunicação (TIC), novas opções de pagamentos e transações financeiras também surgiram. Elas impulsionaram compras e circulação de dinheiro com cartões e transferências pela Internet, mas agora avançaram para novos recursos com a disseminação da conexão móvel e dos smartphones.

Uma das novas ferramentas é o uso do chamado QR code. O código é organizado de forma gráfica bidimensional em formato quadrado ou retangular. Os elementos gráficos trazem informações que podem ser decodificadas por um aparelho, como um smartphone, desde que possua essa funcionalidade.

O recurso é disponibilizado em alguns modelos de telefones. Caso ele não venha pré-instalado, é possível baixar aplicativos em lojas como a Apple Store, a Play Store, a Samsung Store, entre outras. Há diversas opções, inclusive gratuitas.

Um exemplo, no Brasil, é o PagSeguro, por meio do aplicativo PagBank. Pela função “aponte e pag” o usuário pode realizar o pagamento desde que o fornecedor do bem ou serviço também possua o código em QR code para efetivar a transação. O Picpay é outra alternativa que vem crescendo no país.

A maioria dos bancos brasileiros já oferece esse serviço. O Banco do Brasil traz a funcionalidade como um recurso de seu aplicativo. Além de pagar, também é possível receber recursos utilizando o QR Code. A instituição anuncia entre as vantagens da modalidade a ausência de taxação e a possibilidade de transações a qualquer momento.

O banco Itaú também lançou serviço semelhante, chamado Iti. Ele funciona de forma semelhante ao PagBank. A instituição informa no material de divulgação do serviço que ele pode ser usado inclusive por pessoas sem conta no banco. O Bradesco também permite o uso do recurso, associado a um cartão da instituição. Para operar esse tipo de pagamento, é preciso utilizar o aplicativo “Bradesco cartões”.

E de onde vem o dinheiro? Neste e em outros aplicativos é preciso transferir recursos que possam ser utilizados nos pagamentos e transações. Em geral é possível fazer o repasse por meio de uma transferência bancária ou até mesmo boletos.

Cashback
Outra novidade entre os serviços de pagamento digital vem sendo chamado de cashback, ou dinheiro de volta, em tradução livre. Diversos bancos e empresas passaram a oferecer o recurso, que devolve ao cliente uma parte do dinheiro quando este realiza uma compra.

O recurso é disponibilizado por aplicativos de carteira digital, como o Picpay. Há também serviços específicos para esse tipo de ferramenta, como Meliuz, Cashola, Beblue, In Mais e Mycashback. Elas funcionam como um “clube de vantagens”, no qual empresas cadastradas oferecem descontos diferentes para compras.

Alguns sites têm foco em estabelecimentos físicos, enquanto outros firmam parcerias apenas com lojas online. Em parte dos serviços, o usuário instala uma extensão em seu navegador e quando estiver em uma loja virtual pode ser avisado das possibilidades de desconto disponíveis. Há também mecanismos de retorno em forma de crédito para compras futuras. Algumas opções também oferecem cupons de desconto.

Contudo, é sempre importante, como em qualquer serviço, consultar quem já o utilizou, o que pode ser feito por meio de comentários em sites de reclamações na Internet.

Fonte: Agora RN

9 de março de 2020 - 12:18h

Decreto da Prefeitura do Natal determina que empresas de transporte por aplicativo pagarão taxa de R$ 50 mil e desagrada a todos

O Decreto nº 11.903 de 14 de fevereiro de 2020 da Prefeitura do Natal publicado nesta segunda-feira, 17, no Diário Oficial do Município (DOM) estabelece uma taxa de credenciamento no valor de R$ 50 mil para as empresas de transporte por aplicativo atuarem na cidade. A lei exige que a empresa pague previamente o custo do credenciamento, que tem validade de um ano. A nova regra entra em vigor em 15 dias contados a partir da publicação oficial, ou seja, no próximo dia 3 de março. O texto é alvo de críticas.

O documento prevê ainda que, caso as empresas não se credenciem, elas estarão sujeitas a uma multa de R$ 1 milhão. O Decreto regulamenta a Lei 6.913, de 19 de junho de 2019, aprovada na Câmara Municipal, e define as regras para o funcionamento dos aplicativos na capital potiguar.

Segundo o presidente da Associação dos Motoristas Autônomos por Aplicativos no RN (Amapp-RN), Evandro Henrique Roque Pereira, o texto foi recebido com “surpresa” pela categoria. Atualmente, a Grande Natal possui cerca de 8 mil motoristas por aplicativos cadastrados.

“O decreto demorou muito e chegou bem diferente do que deveria ser. Omisso em muitos pontos, atropela a lei em outros e em 90% do seu conteúdo se concentra em multas, penalidades”, disse à TRIBUNA DO NORTE, acrescentando ainda pontos positivos do conjunto de regras, como a possibilidade de multa para motorista que abastecer com passageiro no carro ou iniciar a corrida sem o viajante.

Autora da lei que regulamenta o transporte por aplicativos em Natal, a vereadora Nina Souza (PDT) disse que o decreto “inventa coisas” e disse que o texto não foi discutido com a parlamentar e os motoristas.

“Estamos chateados com esse decreto, que não foi discutido conosco. Vamos ver com a Prefeitura para ver a reedição desse texto. A STTU era para ter conversado com a categoria. Inventa coisas nada a ver, como essas multas astronômicas, qual empresa quer vir para cá?”, disse.

Fonte: Blog do BG

18 de fevereiro de 2020 - 9:22h

Nova lente de contato traz tela, câmera e sensores para o olho humano

Uma startup chamada Mojo Vision está desenvolvendo tecnologia para um objetivo ambicioso: criar uma lente de contato inteligente que contenha uma tela, câmera, rádio e sensores, capaz de mostrar ao usuário uma “visão enriquecida” do mundo real.

Segundo a empresa, a tecnologia poderia ajudar portadores de deficiência visual, aumentando a nitidez de uma imagem, destacando objetos na cena ou ampliando a luz para possibilitar que enxerguem no escuro.

Parece coisa de ficção científica, mas parte da tecnologia já existe e foi demonstrada durante a CES 2020. O protótipo, no entanto, ainda é conectado a baterias e processador externos, e não pode ser colocado sobre os olhos. A Mojo afirma que a “tela” usada em sua lente tem resolução de 14.000 PPI (um iPhone 11 Pro tem 458 ppi).

Uma lente de contato inteligente poderia cumprir a visão do Google Glass, mostrando informações úteis no momento certo, sem que seja necessário tirar o telefone do bolso. A empresa afirma que usuários do produto final provavelmente precisarão carregar um acessório que fornecerá a conexão de dados e poder de processamento necessário para o funcionamento das lentes, mas sem o estigma social associado ao Google Glass, por exemplo.

A Mojo espera vender seu produto tanto para consumidores finais quanto para empresas, com as primeiras versões focadas em portadores de deficiência visual. Não há uma previsão de preço para a tecnologia, mas a empresa afirma que espera ter um produto no mercado “em dois anos”.

Fonte: Olhar Digital

17 de janeiro de 2020 - 11:02h

Google revela os assuntos mais buscados no Brasil em 2019

O Google revelou, nesta quarta-feira (11), quais foram os assuntos mais buscados no Brasil em 2019. O ranking mostra os temas que estiveram em alta este ano. A categoria Tecnologia foi dominada pelos celulares, com destaque para o iPhone 11 e o Moto G7, mas alguns aplicativos que bombaram no decorrer do ano também apareceram na lista. Para chegar ao resultado, o buscador calcula o aumento do volume de pesquisas deste ano em comparação com 2018.

O ranking ainda revelou outras pesquisas feitas pelos brasileiros no Google no decorrer do ano. A Copa América, campeonato de futebol que aconteceu este ano aqui no país, foi o assunto mais buscado no site. Já as dúvidas mais comuns entre os usuários foram “O que é libido?”, “Por que o WhatsApp parou de funcionar hoje?” e “Como fazer a inscrição para o ENEM 2019”. No universo do entretenimento, o filme “Vingadores: Ultimato”, o reality show “BBB 19” e a série “Game of Thrones” foram os que mais bombaram.

Fonte: Tech Tudo

12 de dezembro de 2019 - 9:42h