População jovem reduz e número de idosos cresce no RN em 10 anos

Foto: Jornal Nacional/ Reprodução

Em 10 anos, a população do Rio Grande do Norte cresceu, mas passou a ter menos jovens e mais idosos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre 2012 e 2021, toda a população das faixas etárias entre 0 e 29 anos ficou menor. Esse público representava 1,773 milhão de pessoas em 2012 e chegou 1,599 milhão no ano passado – uma queda de 9,8%.

Por outro lado, a população potiguar cresceu em todas as faixas etárias acima dos 30 anos.

Somente o público idoso, acima dos 60 anos passou de 352 mil pessoas em 2012 para 494 mil no ano passado – um aumento superior a 40%.

O grupo que teve maior queda foi o de crianças entre 0 e 4 anos. Em uma década, o número de pessoas nessa faixa caiu 18,2% – passou de 269 mil para 220 mil.

Já o grupo que mais cresceu foi a população entre 55 e 59 anos, que aumentou 70,7%, passando de 113 mil para 193 mil.

Na década, o número de moradores do estado cresceu 7,8% – um aumento de 258 mil pessoas – segundo dados do IBGE. O estado saltou de 3.302.720 habitantes em 2012 para 3.560.903 em 2021.=

O número de novos moradores do estado é próximo ao de habitantes de uma cidade como Parnamirim – o terceiro maior município potiguar, que tem 272 mil cidadãos.

Para o professor Ricardo Ojima, do Departamento de Demografia e Ciências Atuariais da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), o envelhecimento da população potiguar segue uma tendência mundial.

De acordo com ele, isso acontece devido a mudanças em padrões comportamentais da sociedade ao longo das últimas décadas, o que refletiu na diminuição do número de filhos nas famílias.

“Desde os anos 1980 e 1990, a região Nordeste e o Rio Grande do Norte já vêm mostrando redução do número de nascimentos. Por outro lado, nas outras faixas da população, a mortalidade vem caindo. Então mais gente permanece na população e menos gente está entrando na base da pirâmide etária. Hoje você tem aquela pirâmide etária com a base mais estreita e a maior parte da população concentrada na faixa de idade ativa, adulta. Num segundo momento, com o processo de envelhecimento e a manutenção dessa redução de nascimentos, a pirâmide praticamente vai inverter de posição, com número de idosos cada vez mais expressivo”, explica o professor.

Ojima aponta que na década de 1960, a taxa média de fecundidade era de 6 filhos por mulher. Atualmente, a mesma taxa é menor que dois. Para que a população se mantivesse pelo menos com a proporção atual, seria necessário que cada uma gerasse duas crianças ao longo da vida.

“A mudança é reflexo de fatores como um maior grau de escolaridade das mulheres, maior inclusão delas no mercado de trabalho, a urbanização e também um maior custo de vida. São fatores que levaram as famílias a terem menos filhos”, considerou.

Ainda de acordo com Ojima, a expectativa dos cientistas que estudam os movimentos populacionais, a tendência é que a partir de 2046 o Rio Grande do Norte passe a viver um decrescimento, ou seja, a redução da sua população.

O especialista alerta que o maior envelhecimento da população deverá demandar mudanças em pontos importantes como previdência social e a saúde pública.

“Além de mudanças no sistema previdenciário, um maior envelhecimento da população também vai demandar mais investimentos em saúde. A população mais idosa precisa de tratamentos mais intensivos e caros. Portanto, o teto de gasto do poder público, que prevê o congelamento dos recursos para a saúde nos próximos anos, precisará ser revisto. Mesmo com decrescimento da população, o gasto com saúde vai aumentar”, ressalta.

g1

17 de agosto de 2022 - 10:35h

Chuvas aumentam volumes de reservatórios do RN

Foto: Reprodução

O Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn), monitora 47 reservatórios, com capacidades superiores a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pelo abastecimento das cidades potiguares. O Relatório do Volume dos Principais Reservatórios Estaduais, divulgado nesta segunda-feira (08), indica que alguns reservatórios obtiveram aumento de volume com as últimas chuvas.

O açude Morcego, localizado em Campo Grande, acumula 6.581.554 m³, correspondentes a 98,11% da sua capacidade total, que é de 6.708.331 m³. No último relatório, divulgado em 18 de julho, o manancial estava com 6.412.519 m³, equivalentes a 95,59% da sua capacidade total.

A barragem Tabatinga, localizada em Macaíba, acumula 28.881.562 m³, percentualmente, 32,15% da sua capacidade total, que é de 89.835.678 m³. No último relatório divulgado, o reservatório estava com 27.438.187 m³, correspondentes a 30,54% da sua capacidade total.

A barragem de Poço Branco acumula 36.862.203 m³, percentualmente, 27,1% da sua capacidade total, que é de 136.000.000 m³. Na data do último relatório divulgado, o reservatório estava com 35.509.654 m³, correspondentes a 26,11% da sua capacidade total.

O açude Bonito II, localizado em São Miguel, acumula 2.695.875 m³, equivalentes a 24,81% da sua capacidade total, que é de 10.865.000 m³. No dia 18 de julho, o manancial estava com 2.661.975 m³, correspondentes a 24,50% da sua capacidade total.

As reservas hídricas superficiais totais do RN acumulam 2.362.836.839 m³, percentualmente, 53,98% da sua capacidade total, que é de 4.376.444.842 m³. No relatório divulgado no dia 18 de julho, as reservas hídricas acumulavam 2.393.220.863 m³, equivalentes a 54,68% da sua capacidade total.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do RN, acumula 1.504.189.524 m³, percentualmente, 63,39% da sua capacidade total, que é de 2.373.066.510 m³. No dia 18 de julho, o manancial estava com 1.523.151.793 m³, equivalentes a 64,18% da sua capacidade total.

Segundo maior reservatório do RN, Santa Cruz do Apodi acumula 260.089.555 m³, correspondentes a 43,37% da sua capacidade total, que é de 599.712.000 m³. No último relatório divulgado, o manancial estava com 263.673.240 m³, equivalentes a 43,97% da sua capacidade total.

Atualmente, dois reservatórios estão com 100% da sua capacidade, são eles: Flechas, localizado em José da Penha, e o açude público de Encanto.

Para saber sobre os volumes de outras barragens do RN acesse: http://sistemas.searh.rn.gov.br/monitoramentovolumetrico.

Situação das Lagoas

A lagoa de Extremoz, responsável por parte do abastecimento da zona norte da capital, está com 9.891.025 m³, correspondentes a 89,76% do seu volume máximo, que é de 11.019.525 m³.

Já a lagoa do Bonfim, responsável pelo abastecimento da adutora Monsenhor Expedito, acumula 44.166.465 m³, percentualmente, 52,41% da sua capacidade total, que é de 84.268.200 m³.

A lagoa do Boqueirão, localizada em Touros, acumula 10.791.525 m³, equivalentes a 97,44% da sua capacidade total, que é de 11.074.800 m³.

9 de agosto de 2022 - 8:26h

Tremor de terra é sentido em Natal e cidades do litoral norte do RN: ‘Janelas balançando’

Um tremor de terra de magnitude 3.7 foi registrado pelo Laboratório de Sismologia da UFRN às 16h05 deste domingo (31) no Rio Grande do Norte. O epicentro aconteceu no Oceano Atlântico, mas o tremor foi sentido em todo o litoral norte e em Natal.

Vários moradores da capital potiguar relataram nas redes sociais que sentiram o tremor. “Gente, Natal Tremeu! Segunda vez na vida que eu sinto um tremor de terra por aqui. A primeira, em 2010, foi mais forte.”, postou Brenno Marx. Outro internauta comentou “Janelas balançando. Sofá vibrou bastante”.

A empresária Helena Duarte contou que estava em casa, no bairro Candelária, Zona Sul de Natal, quando percebeu que a cama tremeu.

“Eu estava deitada assistindo um filme quando senti a cama tremer. Como essa não foi a primeira vez que eu senti um tremor aqui em Natal, não me assustei. Foi bem sutil, de leve, mas é curioso”, disse.

Em julho de 2021 o Laboratório de Sismologia da UFRN também registrou um tremor de magnitude 3.5 no litoral do RN. Na ocasião o tremor também foi sentido por moradores de Natal e outras cidades do estado.

O maior tremor de terra já registrado no RN aconteceu em 30 de novembro de 1986. O abalo sísmico de magnitude 5.1 fez casas desabarem e milhares moradores deixarem a cidade de João Câmara.

g1

31 de julho de 2022 - 19:59h

Pescadores capturam 12 toneladas de peixes de uma só vez no RN

 Foto: Cedida

Pescadores de Galinhos, no litoral Norte potiguar, fizeram uma grande pesca nesta segunda-feira (18). Foram 12,5 toneladas de peixe, da espécie Garabebel, que garantiram a alegria de 15 trabalhadores do município neste mês de julho.

“Tem vídeo, tem foto. Não tem como dizer que é história de pescador”, afirma Thiago Guedes, de 32 anos, que fez parte do grupo.
Do total de peixe pesado, praticamente metade foi doado entre as mais de 100 pessoas que ajudaram a puxar os quase 600 metros de redes que capturaram os peixes.

“Peixe bom, viu? De 10, 15 quilos. Uma forma de gratificação pra quem nos ajudou”, afirma o pescador.

Os trabalhadores também levaram parte da pescaria para as suas casas, e encaminharam o restante, cerca de seis toneladas, para a cidade de Caiçara do Norte, onde os peixes foram comercializados.

O relato é de que essa época do ano é propícia para episódios assim. Em junho de 2019, um grupo registrou a pesca de nove toneladas de corvina, e em agosto do ano passado, foram sete toneladas de Garabebel.

“É uma pescaria de espera. A gente vem para cá, instala a rede, e começa a observação. Na hora certa, começamos a puxar e, vez ou outra, acontece uma pesca desse tamanho”, explica o pescador.

g1

19 de julho de 2022 - 14:46h

Ministérios Públicos apontam pré-colapso no sistema de saúde e cobram medidas mais rígidas contra Covid-19 no RN

Representantes dos Ministérios Públicos Federal, Estadual e do Trabalho afirmaram que o Rio Grande do Norte vive um pré-colapso do sistema público de saúde e defenderam que o quadro da pandemia da Covid-19 exige medidas sanitárias mais rigorosas em todas as regiões potiguares.

Os órgãos realizaram uma reunião com a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), prefeitos de cidades de todas as regiões do estado e autoridades de saúde, nesta segunda-feira (31).

O procurador da República Victor Mariz afirmou que o momento é crítico. “Em razão dos dados epidemiológicos, temos a necessidade de adotar medidas de controle mais rígidas. Persistimos em situação de risco elevado em razão da pandemia. Acompanhamos de perto o abastecimento de kit intubação e oxigênio, e estamos em alerta pelo risco de falta de medicamentos fundamentais. Temos uma situação de pré-colapso, com panorama anunciado de colapso”, relatou.

“Fica do MP o alerta e o apelo de que só com a união de esforços e protagonismo dos gestores é que poderemos qualificar o enfrentamento para reduzir a propagação do vírus”, defendeu.

De acordo com a promotora de Justiça Iara Pinheiro, o acompanhamento semanal do comportamento da pandemia no estado identificou que o RN vem piorando nos indicadores epidemiológicos e assistenciais nas últimas três semanas.

“Nossa fala de alerta é baseada na última recomendação do comitê científico do estado, mas também em outras análises de projeção da pandemia para o país, como o Observatório Covid da Fiocruz. A capacidade de expansão de leitos públicos praticamente esgotou-se. Pedimos mais restrições em todo o território estadual, porque os dados apontam que todo o estado está em situação grave em relação ao número de casos ativos e demanda alta por leitos de UTI Covid”, explicou.

A procuradora-chefe do MPF no RN, Cibele Benevides, ressaltou a necessidade de se estabelecer consenso e compromisso entre os gestores.

“O consenso poderia ser no sentido de maior fiscalização e no reconhecimento de setores que estão cumprindo bem os protocolos, como restaurantes e escolas particulares. O momento é de não avançar com novas aberturas e rever flexibilizações inadequadas, como a permissão de eventos coletivos em Natal”, disse.

Segundo o MP, o prefeito da capital, Álvaro Dias, se comprometeu a reunir o comitê científico municipal para analisar quais novas medidas poderão ser adotadas. Em Parnamirim, o prefeito Rosano Taveira já definiu que o próximo decreto não permitirá aglomerações de até 100 pessoas, como o atual. O MP irá monitorar a realização da reunião em Natal e a adequação das restrições.

A procuradora regional do Trabalho Ileana Neiva também destacou a importância da vigilância epidemiológica: “Cada município deve observar os causadores dos surtos de covid-19. Além de avaliar novas restrições de circulação, é preciso ampliar a testagem da população, para isolar as pessoas, rastrear os contatos e conter surtos”.

A Procuradora Regional do Trabalho ainda esclareceu que já são considerados “surtos virais” a contaminação de pequeno número de pessoas que frequentam ambiente em comum, sendo que estes surtos, caso não sejam contidos por medidas de vigilância epidemiológica, podem avançar de forma exponencial, contaminando a sociedade que habita ou trabalho no entorno do novo foco viral.

Os gestores municipais relataram as dificuldades financeiras enfrentadas durante a pandemia, com encolhimento da arrecadação e grande aumento nos gastos de saúde pública. Eles também elogiaram a sistemática atual de adoção de decretos regionalizados, que deve ser mantida e expandida de forma coordenada em todo o território potiguar.

Atualmente as regiões do Alto Oeste, Seridó, Vale do Açú e Central estão com medidas mais restritivas.

O MP afirma que irá monitorar a adequação das medidas sanitárias ao cenário pandêmico atual em todo o estado.

Números da pandemia
Mais de 700 pessoas estão internadas com covid no RN, mais da metade em leitos críticos (UTIs e semi UTIs). Na manhã desta terça-feira (1º), 98% dos leitos críticos estavam ocupados, sendo 100% no Seridó, 100% na região Oeste e 97,3% na Região Metropolitana. 75 pessoas em estado de saúde considerado crítico estão na fila de espera por leitos de UTI.

Em toda a pandemia, já morreram 840 pessoas na fila, sendo 102 neste mês de maio (número que ainda pode aumentar). Maio apresentou um dos maiores números de casos registrados de toda a pandemia no RN, 25.229 mil ao todo. Foram 506 mortes ao longo do mês, média de 16,32 por dia.

1 de junho de 2021 - 12:41h

Sete municípios do RN não registram casos confirmados de coronavírus

Dos 167 municípios do Rio Grande do Norte, apenas 7 não têm casos confirmados de coronavírus. Todos ficam no Oeste potiguar. Até sábado (13), o estado registrava 13.789 casos confirmados da doença, 533 óbitos, e 1.993 pacientes recuperados.

O boletim da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) aponta 11 cidades sem casos confirmados de Covid-19, porém, 4 já têm casos registrados, mas a notificação não consta no sistema da Sesap: Pedra Preta (4), Serrinha dos Pintos (2), Sítio Novo (1) e Triunfo Potiguar (6).

Dos 7 municípios sem casos confirmados de Covid-19, 5 têm menos de 5 mil habitantes. Todas as cidades têm ou já tiveram casos suspeitos de coronavírus.

Veja as cidades que não têm casos confirmados de coronavírus:

  • Água Nova ( 3.252 habitantes)
  • João Dias (2.654 habitantes)
  • José da Penha ( 5.951 habitantes)
  • Major Sales (4.020 habitantes)
  • Rafael Fernandes (5.098 habitantes)
  • Riacho de Santana (4.204 habitantes)
  • São Francisco do Oeste (4.228 habitantes)

Fonte: G1 RN

14 de junho de 2020 - 19:11h

Portaria define multa de R$ 150 para pessoas que descumprirem decreto contra a Covid-19 e saírem na rua sem justificativa no RN

As pessoas que circularem nas ruas no Rio Grande do Norte, sem que seja para realizar atividades essenciais, podem ser multadas em R$ 150. O acendimento de fogueiras implica em multa de R$ 2 mil.

As duas punições dizem respeito ao descumprimento do mais recente decreto de enfrentamento ao novo coronavírus publicado pelo Governo do Estado na quinta-feira (4). A portaria que estipula os valores das multas saiu na edição deste sábado (6) do Diário Oficial, assinada pelos secretários de Saúde e de Segurança Pública.

A multa prevista para as pessoas que se enquadram no grupo de risco da Covid-19 que forem flagradas circulando na rua também é de R$ 150. A penalidade não é válida para quando, utilizando máscara, idosos e pacientes com comorbidades estejam realizando alguma das atividades consideradas essenciais listadas no decreto do dia 4 de junho, como fazer atividade física individual, ir ao supermercado ou farmácias. Isso também é válido para os demais cidadãos.

A portaria deste sábado (6) determinou ainda a multa de R$ 2 mil para quem realizar festejos juninos, além de R$ 1 mil para quem acender fogos de artifício.

Além disso, também está previsto o pagamento de multa para pessoas que entrarem ou permanecerem acompanhadas, independente de laço familiar, em supermercados ou outros estabelecimentos que estejam com funcionamento autorizado. Esta infração diz respeito especificamente ao decreto de 1º de abril.

Fonte: G1 RN

8 de junho de 2020 - 7:25h

RN tem mais de 400 mortos por Covid-19; “quase colapso”, diz secretário

O Rio Grande do Norte registrou 23 novos óbitos por Covid-19, e soma 410 mortes, de acordo com os dados da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), divulgados neste sábado (6). Deste total, 8 ocorreram nas últimas 24h. Ainda segundo a Sesap, são 9.449 casos confirmados da doença, 18.841 suspeitos, além de 16.733 descartados.
No estado, há 63 mortes em investigação em decorrência da infecção. A taxa de isolamento permanece baixa e caiu para 39,6%. O secretário-adjunto da Sesap, Petrônio Spinelli, esclarece que este é um fator que contribui para o aumento da disseminação da doença.

“Há relação direta entre queda no isolamento e número de internações, mortes e incidência do vírus. Enfrentamos um quase colapso do sistema de saúde, algo que chamamos de superlotação dramática”, explicou.

Em todo o RN, há 655 pessoas internadas com confirmação ou suspeita de Covid-19, das quais 338 apresentam quadro clínico grave. O estado já confirma superlotação na maioria dos leitos disponíveis para tratamento da doença. Em Pau dos Ferros e na Região Oeste, não existem mais vagas; na Grande Natal, 99% dos leitos estão cupados; a situação é menos dramática na região Seridó, onde a taxa de ocupação está em 59,1%.

No rol das superlotações, o número de pacientes à espera de regulação também é alto. São 50 pessoas classificadas como prioridades I e II, ou seja, apresentam quadro clínico grave. Outras 76, com quadros mais leves, também estão na fila por internação.

Fonte: Agora RN

8 de junho de 2020 - 7:18h

RN soma 212 mortes e 4.774 pessoas infectadas pela Covid, diz Secertaria de Saúde

O Rio Grande do Norte confirmou 4.774 casos confirmados e 212 mortes causadas por Covid-19, segundo os dados do boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), atualizados nesta segunda-feira (25). Há 40 óbitos em investigação. O número de casos suspeitos está em 12.856. Descartados são 10.276.

A secretaria também informou a chegada de 40 respiradores nessa semana no Rio Grande do Norte. O estado contabiliza 467 pessoas internadas em decorrência do coronavírus.

Taxa de Ocupação
Região Oeste: 95%

Pau dos Ferros: 80%

Região do Seridó: 64%

Região Metropolitana: 97%

Na contramão do avanço da doença, o índice de isolamento social permanece baixo na região metropolitana, que segundo o boletim, está em 43%.

Fonte: Agora RN

25 de maio de 2020 - 12:50h

RN soma 90 óbitos por Covid-19 e 1.935 casos confirmados da infecção

O Rio Grande do Norte tem atualmente 90 óbitos por coronavírus e 1.935 casos confirmados da infecção, segundo informações da Secretaria de Saúde Pública do Estado (Sesap) nesta segunda-feira (11). Além disso, o RN tem 7.605 casos suspeitos, 5.440 descartados e 662 pacientes recuperados. Ainda há 36 óbitos em investigação.

As mortes mais recentes divulgadas pela Sesap foram registradas em Areia Branca e em Natal. As mortes de Areia Branca são de duas mulheres, de 61 e 65 anos. As duas tinham histórico de diabetes e hipertensão. Em Natal, a vítima mais recente é uma mulher de 90 anos, também com histórico de diabetes e hipertensão.

De acordo com o secretário-adjunto da Sesap, Petrônio Spinelli, o estado tem 32 solicitações de internação vindas do interior e das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). Destas, 2 são pacientes classificados como prioridade 1 e 8 como prioridade 2, que são os pacientes que deveriam estar em leitos críticos e semicríticos.

Fonte: Agora RN

12 de maio de 2020 - 7:23h