PF incinera 1,2 tonelada de cocaína apreendida dentro de carga de melão na Grande Natal

A Polícia Federal incinerou 1,2 tonelada de cocaína, na manhã desta sexta-feira (17), no alto-forno de uma usina na Região Metropolitana de Natal. Segundo a corporação, a droga tinha sido apreendida dentro de uma carga de mangas que seguiria para a Europa, em dezembro de 2019.

Ao todo, foram incinerados 1.260 kg de cocaína, conforme autorização da Justiça. Ainda de acordo com a PF, a ação foi acompanhada por representantes do Ministério Público Federal e da Vigilância Sanitária.

A droga foi apreendida em 7 de dezembro de 2019, durante uma operação no bairro de Emaús, em Parnamirim. Ela estava escondida no interior de galpões e em um contêiner com caixas de melão que seria transportado para o porto de Natal. O destino do contêiner, segundo a PF, era a Europa.

A Polícia Federal incinerou 1,2 tonelada de cocaína, na manhã desta sexta-feira (17), no alto-forno de uma usina na Região Metropolitana de Natal. Segundo a corporação, a droga tinha sido apreendida dentro de uma carga de mangas que seguiria para a Europa, em dezembro de 2019.

Ao todo, foram incinerados 1.260 kg de cocaína, conforme autorização da Justiça. Ainda de acordo com a PF, a ação foi acompanhada por representantes do Ministério Público Federal e da Vigilância Sanitária.

A droga foi apreendida em 7 de dezembro de 2019, durante uma operação no bairro de Emaús, em Parnamirim. Ela estava escondida no interior de galpões e em um contêiner com caixas de melão que seria transportado para o porto de Natal. O destino do contêiner, segundo a PF, era a Europa.

Fonte: G1

18 de janeiro de 2020 - 8:30h

Criminosos invadem pousada e assaltam hóspedes no litoral Norte do RN

Criminosos armados invadiram uma pousada beira-mar na Praia de Maracajaú, no município de Maxaranguape, litoral Norte potiguar, e assaltaram os hóspedes na noite da quinta-feira (16). O crime aconteceu por volta das 21h30.

As vítimas contaram à Polícia Militar que três bandidos armados renderam inicialmente o proprietário da pousada e outros três hóspedes. Os criminosos conseguiram chegar no empreendimento por uma entrada que fica na parte de trás do prédio e, em seguida, anunciaram o assalto.

Entre os pertences levados, estão três celulares, um drone, além de dinheiro em espécie dos hóspedes e da pousada.

A Polícia Militar foi acionada após o crime, mas não conseguiu encontrar os bandidos e nem recuperar os pertences. O caso vai ser investigado pela Polícia Civil.

Maracajaú é uma praia paradisíaca e um dos principais pontos turísticos do litoral potiguar. A praia é conhecida pela transparência da água e fica no município de Maxaranguape, distante cerca de 50 quilômetros da capital Natal.

Fonte: G1

17 de janeiro de 2020 - 10:51h

Operação da PF combate contrabando de cigarros e mercadorias estrangeiras no RN

Em cumprimento a ordens judiciais expedidas pela 2ª Vara Federal da Seção Judiciária do Rio Grande do Norte, a Polícia Federal deflagrou na manhã desta terça-feira, 14, a operação “Níquel”, com objetivo de desarticular uma organização criminosa armada, que se vale da participação de policiais militares para a prática de contrabando de cigarros e outras mercadorias estrangeiras, ação proibida pela lei brasileira.

Após investigação criminal, a PF identificou uma associação criminosa formada por mais de quatro pessoas, estruturalmente ordenada e caracterizada pela divisão de tarefas, com atuação no RN, estados vizinhos e no exterior, desde o ano de 2001.

O objetivo do grupo é obter vantagem econômica, por meio da prática de contrabando, que é a importação clandestina de produtos estrangeiros, em especial cigarros.

De acordo com os indícios colhidos, a organização criminosa desafiava a ordem pública, pois dentre as ações criminosas valia-se de policiais militares para escolta de cargas ilegais de cigarros no território nacional.
Após representação policial, a Justiça Federal, com parecer favorável do Ministério Público Federal no RN, deferiu várias ordens judiciais, dentre elas as de prisão preventiva e sequestro de cerca de 16 milhões em bens dos investigados.

Todo material colhido na investigação será compartilhado com a polícia civil e militar, bem como com o Ministério Público Estadual, para providências de competência dessas instituições, considerando a verificação de indícios de prática de outros crimes durante as investigações.

A operação conta com a participação de 130 policiais federais, para fins de cumprimento de 07 mandados de prisão e 16 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Natal/RN, São Paulo/SP e Abaetetuba/PA.

Durante o cumprimento de um dos mandados de busca e apreensão, foram encontradas dezenas de caixas cigarros e um dos investigados foi preso em flagrante delito.

Os crimes envolvidos estão previstos no art. 2º, §2º, §3º, §4º, inciso II e V, da Lei 12.850/2013 (organização criminosa) e art. 334-A (contrabando) e art. 317 (corrupção) do Código Penal.

Fonte: Agora RN

14 de janeiro de 2020 - 8:12h

Sobe para 17 o número de casos por intoxicação por cerveja contaminada

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais anunciou na noite desta segunda-feira que o número de casos suspeitos de intoxicação pela substância tóxica dietilenoglicol encontrada em cervejas da marca Belorizontina subiu para 13 e outros quatro casos já foram confirmados.

Os casos ainda não confirmados apresentaram sinais e sintomas condizentes com os da síndrome nefroneural, com insuficiência renal grave e alterações neurológicas, e estão em investigação.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) determinou que todas as cervejas e chopes da Cervejaria Backer produzidas entre outubro de 2019 e a data desta segunda-feira, 13 de janeiro, sejam recolhidas. A Backer é a cervejaria responsável por produzir a Belorizontina.

Além do recall das cervejas, a comercialização dos rótulos produzidos pela Backer está suspensa até que seja descartada a possibilidade de contaminação dos produtos. Segundo o Mapa, no entanto, até o momento não foi confirmada a presença de etilenoglicol ou dietilenoglicol em outras marcas da empresa.

“Estes produtos estão sendo analisados e, caso existam resultados positivos, novas medidas serão adotadas”, diz nota do ministério.

Na sexta-feira, o Ministério anunciou a interdição da cervejaria. Na ocasião, foram apreendidos 16 mil litros de cerveja. No mesmo dia, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) também suspendeu preventivamente a distribuição e comercialização de dois lotes da Belorizontina: o L1 1348 e L2 1348.

A Polícia Civil anunciou na manhã desta segunda-feira que um terceiro lote está contaminado. Além disso, outro material, o monoetilenoglicol, teria sido encontrado em amostras do produto. O novo lote contaminado é o L2 1354.

Fonte: Extra

14 de janeiro de 2020 - 8:09h

Auditoria descobre sonegação fiscal de mais de R$ 1,5 milhão feita por fornecedores do Governo do RN

Uma auditoria da Controladoria Geral do Estado descobriu sonegações fiscais realizadas por empresas que prestam serviço ao próprio governo do Rio Grande do Norte. De acordo com o controlador-geral, Pedro Lopes, as empresas faziam as notas fiscais, entregavam ao governo para receber o pagamento pelo serviço, mas cancelavam o registro em seguida, deixando de pagar os impostos federais e estaduais. Mais de R$ 1,6 milhão deixaram de ser pagos aos cofres estaduais, ainda segundo ele.

De acordo com o Pedro Lopes, essa foi mais uma descoberta realizada durante as apurações a respeito do programa de Restaurantes Populares, que fornece alimentação com preço subsidiado à população. De acordo com ele, inicialmente foi descoberto que parte das empresas cobravam ao estado mais do que forneciam. “Passamos a fazer o controle e reduzimos o custo em R$ 2 milhões por mês”, afirmou ao G1.

Durante as investigações, a Controladoria começou a regular os custos através da nota fiscal. “Levantamos R$ 15,9 milhões em notas fiscais que foram entregues e pagas pelo estado. Só que as empresas, depois que recebiam, ou devolviam, ou cancelavam a nota, ou seja o tributo não era pago”, explicou.

Segundo o controlador, pelo menos quatro empresas foram flagradas. O caso foi repassado à Secretaria de Estado de Tributação (SET), que emitiu multas e autos de infração às empresas. “Só uma delas pagou R$ 500 mil”, revelou.

A Secretaria de Tributação também poderá informar o caso à Polícia Civil, que poderá investigar crime de ordem financeira.

“Nós vamos continuar esse trabalho. Tem outras empresas que estamos investigando e também vamos sugerir ao Tribunal de Contas do Estado um trabalho semelhante nos contratos dos municípios”, afirmou Lopes.

Fonte: G1 RN

14 de janeiro de 2020 - 7:56h

Carrões comprados com dinheiro do crime se tornaram viaturas policiais de luxo

Por onde passam, as superviaturas fazem um sucesso danado. O que as pessoas não sabem é do passado delas. Se esses carros falassem, contariam a seguinte história: “Nós fomos comprados com o dinheiro do crime e usados por bandidos que gostavam de ostentar. Mas um dia eles se deram mal e a gente acabou resgatado. Ganhamos um novo visual e, agora, trabalhamos a serviço do bem.”

O primeiro a mudar de lado, há quase dois anos, foi o Camaro. O esportivo foi apreendido com estelionatários, em Balneário Camboriú (SC). Em 2019, chegou o reforço do Porsche e da Mercedes. Os carrões, avaliados em mais de R$ 370 mil cada um, eram de um traficante goiano foragido da Justiça.

O risco era ver as máquinas virarem sucata. O Ministério Público entrou na jogada, e a Justiça autorizou a transferência dos carrões para a PM. A caracterização das viaturas e todos os equipamentos foram doados por empresários. A PM só gasta com o combustível.

Mas estes supercarros não vão correr atrás de bandidos, não. Ganharam outras missões, como a visita a escolas. São os “transformers” da vida real!

Fonte: Fantástico

13 de janeiro de 2020 - 7:44h

Mulher de 19 anos mata companheiro com tiro e é presa após ligar para a polícia no interior do RN

Uma jovem de 19 anos foi presa na noite deste sábado (4) em Caicó, na região Seridó potiguar, após matar o companheiro dela a tiros e, em seguida, ligar para a polícia. O caso aconteceu na Zona Norte da cidade. Apesar da detenção, a Polícia Civil trata o caso como legítima defesa.

De acordo com a versão contada pela jovem à polícia, o crime teria sido motivado pela violência do homem contra ela. Segundo a Polícia Civil, Ailton Arthur Dantas Santos, de 25 anos, tinha uma arma de fogo registrada. Durante uma briga, a mulher teria alcançado a pistola e disparado um tiro contra ele.

Após ligar para a polícia, a mulher permaneceu no local e foi levada à delegacia de plantão, onde confessou o crime e permanecia detida na manhã deste domingo (5).

Segundo a Polícia Civil, ela informou que tinha um relacionamento de aproximadamente dois anos com o homem. Eles moraram juntos um tempo, logo no início do namoro, mas haviam se separado, porque o homem a maltratava. Apesar de não agredi-la fisicamente, seria violento nas palavras.

O casal havia retomado o relacionamento há cerca de um mês e voltou a morar junto. Porém o homem teria ficado excessivamente ciumento, chegou a agredi-la fisicamente, inclusive com faca e ameaçá-la com arma de fogo.

Durante uma briga, que envolvia uma dessas ameaças, neste sábado (4), a mulher alcançou a arma que o homem havia soltado e atirou contra ele.

A princípio, a Polícia Civil informou que o caso é considerado legítima defesa, porém a mulher permaneceu detida para o caso também ser avaliado pelo judiciário.

Fonte: G1 RN

6 de janeiro de 2020 - 9:56h

‘Jamais vou esquecer’, diz homem que ficou 2 anos preso por engano no lugar do irmão no RN

“Não era para ter deixado que eu passasse dois anos preso sem ter feito nada. O que eu passei eu jamais vou esquecer na minha vida”. A declaração é do agricultor Eldis Trajano da Silva, de 36 anos, que passou dois anos e três meses preso no lugar do irmão, Eudes Trajano da Silva. Eldis – com L – foi preso em 2017. O erro só foi corrigido no último dia 9 de dezembro, quando ele foi solto.

Segundo a advogada do agricultor, policiais o abordaram, perguntaram o nome dele e mandaram que ele entrasse no carro dizendo que o levariam para casa. Os policiais estavam atrás de Eudes, com “u” no início e “e” no final, irmão dele.

Quando passou da entrada da comunidade, Eldis relatou perceber que não estava sendo levado para casa. “E no momento desse cumprimento, em vez de levarem o Eudes com U, levaram Eldis com L”, disse Marilene Batista de Oliveira, advogada que defendeu o homem.

De acordo com Henrique Baltazar, juiz de Execuções Penais, Eldis foi preso no lugar do irmão em agosto de 2017. Segundo o magistrado, nesta época o sistema de identificação criminal não fazia exames de impressão digital, o que comprovaria que Eldis não era fugitivo. “Não havia nenhum outro tipo de sistema que pudesse confirmar que aquela pessoa era quem devia ser”, disse.

Para a advogada, a sensação é de espanto por não ter sido feito nenhum levantamento para identificar o detento. “Não consigo imaginar como alguém pode estar preso sem ter sua identificação, seja a civil ou criminal”, observou Marilene.

Fonte: G1 RN

30 de dezembro de 2019 - 8:38h

Jovem é baleado e morto a 100 metros de casa durante assalto em Mossoró

Um homem de 25 anos foi morto a tiros durante um assalto no bairro Planalto 13 de Maio em Mossoró, Oeste potiguar, na noite deste sábado (28). De acordo com a Polícia Militar, dois criminosos em uma moto abordaram o rapaz, anunciaram o assalto, roubaram o celular da vítima e tentaram tomar a moto em que ele estava.

Segundo uma testemunha, a vítima, Thiago Milian de Góis Pereira, foi abordada pelos criminosos enquanto passava pela rua. A mesma pessoa que viu o crime disse que foi vítima dos bandidos, que levaram a carteira e o celular dele em um assalto a uma mercearia em frente ao local.

Ao ser parado pelos suspeitos, Thiago pediu para que não roubassem a motocicleta, que era emprestada, e foi baleado enquanto descia da moto. Em seguida, eles fugiram do local sem levar o veículo.

De acordo com tia da vítima, Thiago foi socorrido por outro parente e levado à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Alto de São Manoel, em Mossoró, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O crime aconteceu cerca de 100 metros da casa da vítima.

Segundo a família, Thiago era filho único e tinha viagem marcada para esta segunda-feira (30) para visitar o pai, em Brasília, que tem saúde debilitada. O corpo da vítima será velado às 10h deste domingo (29); a família ainda não divulgou local e horário do enterro.

Fonte: G1 RN

30 de dezembro de 2019 - 8:36h

Padrasto suspeito de matar menino de 5 anos envenenado é indiciado por homicídio duplamente qualificado

O homem suspeito de ter matado envenenado o enteado de 5 anos de idade será indiciado por homicídio duplamente qualificado, segundo a Polícia Civil. O garoto morreu na madrugada do domingo (15), em Natal, e um laudo pericial confirmou nesta terça-feira (17) que ele ingeriu uma substância presente em pesticidas e inseticidas, o que provocou o óbito.

De acordo com Ernani Júnior, delegado da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) responsável pelas investigações, as provas apontam para a responsabilidade do padrasto na morte do garoto João Victor.

A mãe do menino disse em depoimento que guardava, em cima de um armário alto e escondido atrás de dois capacetes de moto, um veneno de rato. Ainda segundo a mulher, o vidro com a substância sumiu do lugar que ela costumava deixar.

João Victor ficou sozinho com o padrasto em casa no sábado (14), quando a mãe precisou sair para fazer compras. “Ela deixou o local por 10 minutos”, afirma o delegado Ernani. Os três moravam em uma residência no bairro de Nova Descoberta, na Zona Sul.

Na volta, a mulher encontrou o filho desfalecendo, dizendo que não conseguia mais enxergar. “O suspeito ficou sentado no sofá e nada fez para ajudar”, conta o delegado. A mãe então procurou uma vizinha e as duas pararam um carro na rua para levar a criança até um hospital. Depois de internado, João Victor morreu na madrugada do domingo (15).

O laudo do Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) confirmou nesta terça (17) a suspeita do médico que, no fim de semana, fez a autópsia do corpo: o menino tinha veneno no estômago.

De acordo com Ernani Júnior, as qualificadoras que agravam o crime de assassinato supostamente praticado pelo padrasto são o fato de ter sido cometido com uso de veneno, enganando a vítima, portanto sem chance de defesa, e também o garoto ter menos de 14 anos de idade. São duas características que, para a Justiça, tornam o homicídio mais grave. “Por isso será indiciado por homicídio duplamente qualificado”, reforça.

Ainda segundo o delegado Ernani Júnior, durante os depoimentos o suspeito ficou calado. Nem negou, nem confirmou a autoria do crime.

Fonte: G1 RN

17 de dezembro de 2019 - 19:27h