IFRN abre inscrições para 3,2 mil vagas em cursos técnicos integrados ao ensino médio

Foto: Sérgio Henrique Santos/Inter TV Cabugi

O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) abriu nesta segunda-feira (3) inscrições para o exame de seleção para cursos técnicos de nível médio integrados ao ensino médio.

Ao todo, são 3.212 vagas para ingressono primeiro semestre de 2023. As oportunidades são para cursos nos 20 campi do IFRN pelo estado.

As inscrições vão até o dia 7 de novembro e devem ser feitas de forma on-line, na “Área do Candidato” no site da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (Funcern).

O edital está disponível para consulta, incluindo o número de vagas por cursos. As oportunidades são distribuídas através da lista geral e listas específicas de concorrência (cotas).

A inscrição custa R$ 30 e o período para pedir isenção da taxa começa nesta segunda e vai até o dia 16 de outubro. Os estudantes que participaram do Programa de Iniciação Tecnológica e Cidadania (ProITEC) 2022 deverão, obrigatoriamente, se inscrever neste processo seletivo e estão isentos do pagamento da taxa.

Seleção e provas
As provas de seleção vão acontecer no dia 4 de dezembro. A seleção será realizada através da aplicação de três provas: Língua Portuguesa (20 questões de múltipla escolha); Matemática (também com 20 questões de múltipla escolha) e Produção Textual escrita.

O cartão de inscrição estará disponível a partir do dia 25 de novembro e indicará o local da realização das provas.

O resultado final será divulgado no dia 16 de fevereiro de 2023.

Procedimento de heteroidentificação
A autodeclaração dos candidatos como negros ou indígenas, realizada no ato da inscrição do processo seletivo, será confirmada através de um procedimento de heteroidentificação, realizado por uma comissão responsável pela validação das informações apresentadas. A operação ocorre de acordo com resolução específica, aprovada pelo Conselho Superior do Instituto (Consup/IFRN).

Segundo o Edital, a aferição de cor-etnia negra (preta ou parda) não se refere à apresentação de documentos, como Certidão de Nascimento, ou à ascendência do candidato, ou seja, quem são seus pais, avós ou bisavós. A confirmação ocorrerá, porém, e tão somente, conforme as características físicas do próprio candidato.

Mais detalhes do procdimento estão no site do IFRN e no edital do exame.

g1

4 de outubro de 2022 - 11:31h

Candidatos do Prouni têm até esta quarta-feira para se inscrever na lista de espera

Foto: Agência Brasil

O Programa Universidade para Todos (Prouni) encerra nesta quarta-feira (28) as inscrições na lista de espera para candidatos que não foram pré-selecionados em nenhuma das duas chamadas do programa. Para se inscrever na lista, é preciso acessar a página do Portal Único de Acesso ao Ensino Superior do Ministério da Educação (MEC).

O resultado da lista de espera será divulgado no dia 3 de outubro. Os selecionados nesta fase precisarão comprovar suas informações de 3 a 7 de outubro.

O Prouni concede bolsas de estudo integrais e parciais em cursos de graduação e sequenciais de formação específica, em instituições de educação superior privadas. “O Programa conta com um sistema de seleção informatizado e impessoal, que confere transparência e segurança ao processo”, informa o ministério.

Agência Brasil

28 de setembro de 2022 - 15:11h

IFRN tem 176 vagas em cursos de diferentes modalidades com inscrições abertas

Foto: Adriano Abreu

O Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) está com quatro editais abertos para cursos técnicos nas modalidades Subsequente, Integrado ao ensino médio (Educação para Jovens e Adultos) e para cursos de graduação. Os processos seletivos são para ingresso no segundo semestre letivo de 2022 e as inscrições vão até este mês de agosto. Todas as inscrições devem ser realizadas, exclusivamente, via internet, no Portal do Candidato do IFRN.

Cursos Superiores de Graduação via Enem
Regido pelo Edital nº 33/2022 da Pró-Reitoria de Ensino (Proen/IFRN), o processo seletivo é destinado para quem já concluiu o ensino médio. A seleção vai utilizar as notas das edições 2019, 2020 e 2021 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

São 78 vagas, distribuídas pela Licenciatura em Biologia, pelo Campus Macau; para Licenciatura em Matemática e para Tecnologia em Gestão Ambiental, ofertadas pelo Campus Mossoró; e para a Tecnologia em Marketing, pelo Campus Natal – Zona Norte. As inscrições, gratuitas, vão até as 17h de 22 de agosto.

Curso Técnico Subsequente em Instrumento Musical
O Edital nº 34/2022 da Pró-Reitoria de Ensino (Proen/IFRN) anuncia o processo seletivo para o Curso Técnico Subsequente em Instrumento Musical, no Campus Jucurutu. Ao todo, estão sendo ofertadas 31 vagas, divididas no ensino de acordeom, bateria ou percussão, canto, clarinete, flauta doce, piano ou teclado, saxofone e violão.

O processo seletivo é voltado para quem já concluiu o ensino médio e será realizado em etapa única, eliminatória e classificatória, através da aplicação de Teste de Habilidade Específica. As inscrições, gratuitas, vão até as 17h do dia 26 deste mês de agosto.

Curso Técnico Integrado na modalidade Educação de Jovens e Adultos
Também estão abertas as inscrições para as vagas remanescentes no Curso Técnico Integrado em Edificações, na modalidade Educação de Jovens e Adultos (ProEJA). São 35 vagas, também gratuitas, ofertadas pelo Campus Mossoró.

O processo seletivo é regido pelo Edital nº 35/2022 – Proen/IFRN, e a classificação para o preenchimento das vagas ocorrerá por meio de sorteio eletrônico. O período de inscrição segue até as 17h do dia 29 deste mês de agosto.

Mestrado Profissional em Uso Sustentável de Recursos Sustentáveis
O Programa de Pós-Graduação em Uso Sustentável de Recursos Naturais (PPgUSRN) do Campus Natal – Central anunciou as inscrições para o Mestrado Profissional em Uso Sustentável de Recursos Sustentáveis. As 32 vagas, anunciadas pelo Edital nº 1/2022, estão distribuídas pelas linhas de pesquisa em Saneamento Ambiental e em Sustentabilidade e Gestão dos Recursos Naturais.

As inscrições para o processo seletivo têm o valor de R$ 80,00 e seguem abertas até as 17h do dia 22 de agosto.

Tribuna do Norte

19 de agosto de 2022 - 9:01h

Comissão de Transportes aprova gratuidade para inscritos no Enem em dia de prova

Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (15), a Comissão de Transportes, Legislação Participativa e Assuntos Metropolitanos da Câmara Municipal de Natal retomou os trabalhos no segundo semestre legislativo, sob a presidência interina do vereador Anderson Lopes (SD) e tendo o vereador Maurício Gurgel (PV) como novo membro.

Entre os seis projetos de lei aprovados durante a reunião, destaque para o PL 027/2022 de autoria do vereador Peixoto (PTB), que passou com parecer favorável do vereador Eribaldo Medeiros (PSB), garantindo gratuidade nos transportes públicos municipais aos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio, nos dias de realização das provas do Enem. “Importante para garantir o acesso aos locais de prova do exame, que é porta de entrada para as universidades públicas”, diz o autor na justificativa do PL.

Na mesma reunião, a comissão aprovou o seguimento da tramitação PL 454/2021 de autoria do vereador Aroldo Alves (PSDB), que obriga empresas públicas e privadas a fechar valas e buracos abertos por elas em vias públicas de Natal. “Parece óbvio, mas esse projeto é bastante pertinente. Muitas vezes essas empresas não reparam os danos que causam às vias ou o fazem de forma insatisfatória”, comentou o vereador Professor Robério Paulino (PSOL), membro da Comissão de Transportes.

Também foram aprovados os PLs 080/2021, do vereador Preto Aquino (PSD), que obriga estabelecimentos públicos e privados a inserir nas placas de atendimento prioritário o símbolo internacional da surdez, e o 727/2021, do vereador Kleber Fernandes (PSDB), que prevê a divulgação da localização de todos os radares de fiscalização no site institucional da Prefeitura Municipal, bem como os respectivos limites de velocidade de cada equipamento.

Como presidente interino, o vereador Anderson Lopes comentou que espera um segundo semestre bastante produtivo e adiantou que dará prosseguimento às visitas externas e às audiências públicas, como a que está prevista para a próxima sexta-feira(19), às 9h, no plenário da Casa, por proposição do vereador Robério Paulino, com o tema: “A necessidade urgente de licitação do transporte público em Natal”.

16 de agosto de 2022 - 10:17h

Estudantes têm até quinta-feira para concorrer a bolsas do ProUni

Foto: Reprodução

Estão abertas as inscrições para a segunda edição de 2022 do Programa Universidade para Todos (ProUni). Os estudantes interessados em bolsas de estudos em instituições privadas de ensino superior têm até quinta-feira (4) para acessar o site do ProUni e se inscrever no programa.

Podem participar estudantes interessados em bolsas de estudo parciais (50%) ou integrais (100%), em diversas universidades privadas, desde que tenham feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e atingido, no mínimo, a média de 450 pontos em cada matéria do exame. Além disso, o estudante não pode ter zerado a prova de redação e nem ter participado como treineiro.

O resultado com a lista dos candidatos pré-selecionados será disponibilizado no site do programa e será constituído de duas chamadas, previstas para o dia 8 de agosto e 22 de agosto de 2022.

Portal da Tropical

3 de agosto de 2022 - 11:15h

Mais de 30% dos eleitores do RN são analfabetos ou não terminaram o ensino fundamental

 Foto: Eduardo Paiva / TV Globo

Praticamente um terço do eleitorado potiguar se declara analfabeto ou não concluiu o ensino fundamental. Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral.

Em 2022, o estado tem mais de 2,5 milhões de eleitores registrados pela Justiça Eleitoral. Desse total, 25,11% disseram que possuem o ensino fundamental incompleto. São 641.406 pessoas.

Outros 155.461 eleitores potiguares (6,9%) se declaram analfabetos à Justiça Eleitoral.

O Rio Grande do Norte ainda tem outras 256.233 pessoas que apenas leem e escrevem, mas não tiveram educação formal. Esse grupo representa 10% do eleitorado.

Além disso, entre os eleitores potiguares que não terminaram a educação básica, há 413.572 pessoas com ensino médio incompleto.

As taxas de analfabetos e de pessoas que apenas leem e escrevem no Rio Grande do Norte são maiores que a média do país.

De acordo com o TSE, no Brasil como um todo, apenas 4,05% dos eleitores se declaram analfabetos e 7,16% dos eleitores do pais dizem que leem e escrevem.

O percentual de potiguares que sequer terminaram o ensino fundamental também é maior que a média nacional, que é de 22,97%.

Já o número de pessoas com ensino superior no estado é menor que no país. Enquanto o RN tem 8,97% dos eleitores formados, o país possui 10,95% de eleitores com terceiro grau.

g1

19 de julho de 2022 - 14:44h

Projeto ensina professores a lidar com crianças com autismo

Assim como muitos educadores, a pesquisadora e professora da rede municipal de São Carlos (SP), Viviane Macedo, sentia dificuldade em ensinar repertórios comportamentais e acadêmicos aos alunos com autismo. Pesquisas científicas mostram que essa é a realidade de muitos professores da Educação Básica, que se sentem frustrados quando precisam lidar com crianças com autismo. Mesmo os profissionais formados em Educação Especial encontram dificuldades na hora de trabalhar com elas.

Pensando nesses desafios, Viviane Macedo, mestranda no Programa de Pós-Graduação em Educação Especial (PPGEEs) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), produziu, em dissertação do mestrado, três vídeos que ensinam algumas técnicas baseadas na Análise do Comportamento Aplicada para quem ainda não conhece a maneira correta de ensinar crianças com autismo,. O objetivo é alcançar maior número de profissionais que trabalham com crianças com o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

“A proposta da pesquisa foi desenvolver vídeos animados autoinstrucionais – que possibilitam o aprendizado autônomo – para ensinar professores a identificarem preferências de crianças com TEA. Explico no trabalho a fundamental importância da utilização desses itens preferidos como ferramenta “motivacional” para as crianças permanecerem sentadas durante o ensino, responderem adequadamente às demandas propostas, além de diminuir a ocorrência de comportamentos inadequados. A falta de motivação pode, assim, constituir-se em barreira na programação de ensino”, explica Viviane.

Nos tutorais, os professores poderão aprender a aplicar uma das avaliações de preferência de escolha que existem na literatura científica. A educadora, que também se especializou no Instituto LAHMIEI Autismo, da UFSCar, explica que identificar os itens reforçadores de uma criança é uma das ferramentas fundamentais para instalar e fortalecer novos comportamentos.

“Os vídeos apresentam estratégias sobre como preparar o ambiente e manejar os objetos para aplicar uma avaliação de preferência e, consequentemente, como elaborar uma lista de maior e menor preferência da criança, uma estratégia importantíssima principalmente se ela não apresentar fala”, diz a professora.

Na opinião de Viviane, diversas questões ainda dificultam a inclusão adequada das crianças com TEA nas escolas. “A superlotação das salas de aula e a dificuldade dos professores em lidar com elas são barreiras comumente encontradas no sistema público de ensino, e que inviabilizam a inclusão de qualidade dessas crianças”.

A pesquisadora espera que os educadores possam entender como analisar o comportamento das crianças com autismo, para que seja mais fácil saber quais tarefas ensinar e como ensinar.

A dissertação de mestrado de Viviane, que deu origem aos vídeos, será defendida no fim de setembro, e os tutoriais serão divulgados após a defesa.

Fonte: Agência Brasil

27 de agosto de 2020 - 7:24h

No RN, médicas defendem volta às aulas com famílias podendo optar por ensino presencial ou online

Com o anúncio de mais um adiamento do retorno às aulas no Rio Grande do Norte, por pelo menos 30 dias, começou a ganhar corpo um movimento de pais, respaldados por médicos, que defendem o direito de escolha em manter os filhos em casa, estudando de forma online, ou a volta às atividades presenciais, com todas as medidas de segurança necessárias para garantir um ambiente saudável, livre de riscos para a contaminação pelo novo coronavírus. É o chamado ensino híbrido. No estado, as aulas estão suspensas desde o mês de março. Alguns especialistas argumentam que já há um ambiente favorável para o retorno das escolas nesse novo modelo.

Dados divulgados pelo Consórcio de Veículos de Imprensa, neste último domingo, apontam que o Rio Grande do Norte teve a segunda maior redução de mortes por Covid-19 do Brasil, com queda de 55%. Diante de números como esse, a pediatra Giovanna Paiva acredita que os pais podem decidir qual a melhor opção para manter os estudos dos filhos, respeitando todos os protocolos e cuidados preconizados. “Sou a favor do retorno das aulas de forma híbrida, sempre avaliando as condições e cada contexto familiar. Sempre lembrando que se a criança faz parte de algum grupo de risco ou na sua residência tem alguém que se enquadre no risco ou, ainda, se tem contato frequente com idosos, essa criança precisa permanecer em casa”, avalia.

Essa também é a opinião da médica reumatologista Danyele Dias, que é mãe e casada com o médico intensivista Sérvulo Dias Júnior, que dirige a UTI de um grande hospital em Natal e lida com pacientes com a Covid-19. Ela argumenta que o estado vive hoje a fase 3 da reabertura da economia, que tomou como base a baixa taxa de contágio, o número de leitos de UTI e hospitalares vagos, a estruturação da rede de saúde, a queda progressiva do número de casos novos, a redução no número de óbitos e a melhora da capacidade de liberar resultados de testes com mais rapidez.

“Eu acho fundamental garantir o direito da criança à educação, dando a opção ao pai, seu tutor, de escolher o modelo que lhe atende. Então, se o pai ou a criança não se sentirem seguros, ou se forem portadores ou tiverem contato com uma pessoa que tenha alguma doença que seja fator de risco, deverá ser garantida a opção de permanecer no modo de aula virtual. Já para os outros, o modo híbrido parece uma boa opção e tem sido utilizado já há alguns meses no Amazonas, bem como será o novo modo de educação no resto do mundo. Alguns países da América do Norte, Europa e Ásia já anunciaram que adotarão este modelo”, argumentou.

Fonte: Agora RN

18 de agosto de 2020 - 15:27h

Com escolas fechadas, rede pública do RN recebe 8 mil matrículas de novos alunos durante pandemia

Somente a rede pública estadual do Rio Grande do Norte recebeu 8 mil novos alunos durante a pandemia do novo coronavírus. O número saltou de cerca de 208 mil para 216 mil ao longo de cinco meses, mesmo com as escolas fechadas. Para o secretário estadual de educação, Getúlio Marques, o principal motivo para as matrículas seria a migração dos jovens das escolas privadas para as públicas.

“Não podemos afirmar que todos as matrículas foram por isso, mas muitos ficaram sem condição de pagar mensalidade, ou por outro motivo pessoal, resolveram fazer essa mudança, porque os pais têm a obrigação de manter os filhos matriculados na escola. Não sabemos quantos foram nas redes municipais, mas os gestores também sentiram essa mudança”, afirma.

Nesta semana, o estado anunciou a quarta prorrogação da suspensão das aulas presenciais, iniciada em março, com novo prazo para 18 de setembro. A data, porém, não significa necessariamente o dia de retorno às aulas. Até lá, haverá várias análises sobres o comportamento da pandemia do estado. O governo considera que liberar as aulas agora seria colocar mais 1 milhão de pessoas à exposição do vírus.

O secretário afirma que entende a preocupação das escolas privadas, que defendem a volta às aulas como alternativa à crise enfrentada por elas, principalmente com o fim da ajuda do governo federal para pagamento de parte dos salários dos funcionários. “O sindicato nos informou que há pelo menos 38 escolas que estão preparadas, mas nem todas as escolas privadas também tiveram condições de se preparar”, afirma. Da mesma forma, ele considera que parte das escolas públicas já está pronta para o retorno.

Por outro lado, o secretário de Educação considera que a liberação só será feita quando o comitê científico do estado considerar o ambiente seguro, ainda que parte das escolas abram antes e outras depois.

“A escola pode ser um ambiente seguro, mas esse aluno tem o deslocamento até ela, no ônibus – mesmo em escola particular há alunos que vão de ônibus, e podem estar levando a contaminação para os colegas, para escola, para um local que está seguro”, disse. “Consideramos que o direito à educação é fundamental, mas antes vem o direito à vida. Existe muita discussão política, mas a não vamos entrar nela. Nossa discussão é científica”, argumentou.

Pessoalmente, Getúlio Marques acredita que as aulas presenciais não vão voltar a acontecer no estado em 2020. Porém, afirma que no dia que o governo receber o parecer favorável do comitê científico montado para tratar sobre a pandemia, o comitê do setor da Educação vai decidir pela retomada às atividades. “Foi o que conversei com as 15 entidades que fazem parte do comitê, na nossa última reunião. Esse tem que ser nosso compromisso”, pontuou.

Outro fator de preocupação são os professores que pertencem ao grupo de risco. São cerca de mil, que representam entre 7% e 8% dos profissionais que atuam nas redes de ensino. Porém, segundo o secretário, eles poderão continuar trabalhando, visto que ele acredita em um modelo “híbrido”, no retorno às aulas, com atividades presenciais e virtuais.

Questionado se o ano de 2020 está perdido, Marques considera que o ano letivo foi “prejudicado, mas não totalmente perdido”, porque parte do material que foi utilizado nas atividades remotas poderá ser usado para avaliar os alunos e contar como parte da formação no ano letivo. O formato ainda está em discussão, mas ele considera que, no retorno, as escolas precisarão avaliar o nível de aprendizagem dos alunos, focar nos conteúdos definidos como essenciais e “trabalhar” dobrado, para recuperar o tempo perdido. Uma “normalidade” só seria sentida de 2022 em diante, ele considera.

O secretário também disse que acredita que novos modelos de educação, mais focados na aprendizagem, e usando mais as tecnologias, passará a vigorar após a pandemia. Ele citou o exemplo das salas de aula virtual, que existem no portal Sigeduc, usado pela rede estadual de ensino. “Essa ferramenta existia desde 2017, mas mal era usada. Agora, houve um crescimento de 1000%”, disse.

“Mais de 80% das nossas escolas estão com atividades, através da internet, do rádio, na televisão. É verdade que temos parte dos alunos de escolas mais afastadas, nos rincões, em áreas rurais, não tiveram isso e nossa maior preocupação é com eles”, disse.

Segundo o secretário, ao contrário das universidades públicas do estado, a rede básica não teria recursos para financiar compra de equipamentos para alunos em situação de vulnerabilidade social, mas afirmou que o estado irá fazer uma contratação de um canal de TV para transmitir aulas para todo o estado. “Inclusive para os alunos que vão fazer Enem, que vão ter aulas também aos sábados”, pontuou.

Fonte: G1 RN

17 de agosto de 2020 - 7:36h

Matrícula no ensino superior a distância aumentou 45% de 2016 a 2018

O número de matriculados em instituições de ensino superior público na modalidade a distância aumentou 45% entre 2016 e 2018. A taxa de matrícula alcançou 173 mil estudantes, segundo informações do Censo da Educação Superior de 2018.

Os dados foram levantados pela plataforma interativa Quero Bolsa, criada para estudantes buscarem auxílio e descontos para inscrição em faculdades particulares.

Esse aumento ocorre depois de anos consecutivos de queda constante. Em 2010, o número de estudantes matriculados no ensino público a distância era de 182 mil, representando queda de 34%.

São Paulo é o estado com maior número de matriculados, com mais de 42 mil alunos. Em último lugar, aparece o Distrito Federal, com apenas 4. Confira os cinco estados com maior número de inscritos: São Paulo – 42.787; Rio de Janeiro – 35.226; Piauí – 11.928; Paraná – 10.349 e Maranhão – 8.306.

O curso com maior número de matriculados é o de pedagogia, com 37.475 alunos. Também se destacam engenharias e cursos de formação de professores. Confira os 10 primeiros colocados: pedagogia – 37.475; formação de professor em matemática – 16.570; administração pública – 13.286; engenharia de produção – 11.582; formação de professor em letras/português – 10.014; formação de professor em biologia – 9.136; engenharia de computação – 7.599; administração – 7.469; formação de professor em geografia – 6.752; formação de professor em história – 5.037.

Fonte: Agência Brasil

2 de junho de 2020 - 9:47h