Exportação de frutas do RN da safra 2022 deverá reduzir em até 20%

Foto: Alex Régis/ Tribuna do Norte

A exportação de frutas do Rio Grande do Norte deverá sofrer uma redução em torno de 20% na safra que inicia no próximo mês. A Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas) e o Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Grande do Norte (COEX-RN) apontam que fatores externos e econômicos deverão reduzir a quantidade de frutas exportadas pelo Rio Grande do Norte, especialmente o melão, carro-chefe da fruticultura potiguar. Mesmo assim, a expectativa da Secretaria Estadual de Agricultura e Pesca (Sape/RN) e da Companhia Docas do Rio Grande do Norte (Codern) é positiva. Na Safra 2021, o RN exportou U$$ 166 milhões em frutas e nozes não oleaginosas.

Tecnicamente, a exportação da próxima safra é calculada a partir da semana 34 de 2022, que começa no dia 22 agosto e se estende até a semana 20 de 2023, que inicia em 21 de maio. Apesar do bom desempenho anunciado no primeiro semestre, as expectativas não são tão boas para o futuro próximo. “A previsão é de que teremos uma produção menor esse ano, em torno de 15% a 20%, por conta do aumento de custo e dos insumos. O Euro está mais baixo e as chuvas foram muito fortes, então atrasou um pouco a safra”, explicou o produtor Luis Roberto Barcelos, diretor da Abrafrutas.

O câmbio, conforme ele falou, interfere neste processo porque as frutas vendidas para o exterior são negociadas em Euro e nas últimas semanas essa moeda ficou mais barata em comparação ao dólar pela primeira vez em 20 anos.

O diretor da Abrafrutas também cita problemas na logística como um fator preponderante para essa baixa expectativa. “Estamos com muito problema de espaço para embarcações e também de atraso nas rotas dos navios, que é uma questão mundial. Com tudo isso aí, a tendência é de exportarmos menos volume.

O melão é a principal fruta que o estado exporta. Foram produzidas mais de 300 mil toneladas da fruta na safra 2021/2022. Junto à melancia, ao mamão, a banana e a manga, o melão forma o top 5 das frutas mais produzidas.

Cerca de 40% das exportações de frutas do país saem de terras potiguares. No primeiro semestre, as frutas ajudaram a aumentar as exportações. “Cresceu bem por outros motivos, como a menor concorrência com a América Central, mas a gente vai cair no segundo semestre deste ano com relação ao segundo semestre do ano passado”, diz Luiz Roberto Barcelos.

Conforme os dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), as exportações no Rio Grande do Norte cresceram 122,6% no primeiro semestre de 2022, se comparado a igual período do ano passado, que teve soma de US$ 184 milhões em produtos exportados. A movimentação nos seis meses passados foi de US$ 408,7 milhões. Dentro do recorte, as frutas frescas e nozes foram o segundo produto mais exportado (15% das exportações e US$ 59,8 milhões exportados).

As informações da Secex indicam uma maior alta para o período desde 2011, representando quase 10 vezes mais do que o registrado no mesmo período daquele ano. As estatísticas apontam um saldo de US$ 24,7 milhões no passado e de US$ 219,4 milhões este ano – um crescimento de 788,25%.

O Secretário Estadual de Agricultura, Guilherme Saldanha, destaca que desde 2019 a fruticultura potiguar é destaque nacional. “É interessante vermos duas situações que ocorreram no primeiro semestre. O Rio Grande do Norte continua exportando fruta mesmo no período entressafra, no primeiro semestre que é quando ocorrem as chuvas que atrapalham um pouco a produção com qualidade”, disse ele.

Outro ponto destacado pelo secretário foi o aumento do volume exportado e, por isso, diz prevê que a próxima colheita será ainda melhor. ”A expectativa é muito boa para o segundo semestre que é quando ocorrem os maiores volumes. Temos trabalhado muito atraindo novas, introduzindo novas frutas como o trabalho na área de limão. Com certeza a gente vai caminhar no sentido de que continuaremos como maior exportador de fruta do Brasil”, prevê o secretário.

Tribuna do Norte

25 de julho de 2022 - 7:33h