Emparn diz que verão terá temperaturas dentro da média no Estado

A estação mais quente do ano começou nesta segunda-feira (21), por volta das 07h05, se estendendo até a segunda quinzena de março. De acordo com as análises da Unidade Instrumental de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), a previsão para estação é dentro da normalidade, devido a influência do fenômeno ‘La Niña’.

“O fenômeno La Niña que acontece com a diminuição na temperatura das águas superficiais do Oceano Pacífico provoca uma maior circulação dos ventos na região Nordeste do Brasil mantendo a regularidade das chuvas para o período”, disse o chefe da unidade, Gilmar Bristot.

Sobre as chuvas, Bristot explica que nos meses de janeiro e fevereiro, quando acontecem as tradicionais chuvas da pré-estação chuvosa no Rio Grande do Norte, “elas serão ocasionadas pelos sistemas que transitam sobre o Nordeste e são de baixa previsibilidade e podem ou não acontecer”. Já para o período chuvoso de fevereiro a maio de 2021, o meteorologista diz que “as condições analisadas são propícias para a ocorrência de chuvas acima do normal para o Nordeste como um todo”.

No interior, em algumas cidades do Alto Oeste, a temperatura máxima poderá chegar a 38ºC e ter uma queda durante a noite, podendo registrar a mínima de 27ºC. Na região serrana, a temperatura mínima poderá registrar 23°C. As análises realizadas não registraram alterações na condição de seca no Rio Grande do Norte, mantendo no mês de novembro, 83% da sua extensão territorial atingida pelo fenômeno. Com relação aos impactos de curto e longo prazo se mantem em parte do Seridó e Borborema, e curto prazo nas demais áreas do território potiguar.

22 de dezembro de 2020 - 9:07h