Última parcela do auxílio emergencial será paga a 54% das famílias no RN

Mais da metade das famílias do Rio Grande do Norte deverão receber, ao longo deste mês de dezembro o auxílio emergencial pago pelo governo federal, cujos valores variam de R$ 300 a R$ 600. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 444,7 mil dos 822 mil domicílios potiguares (54,1%) receberam, em outubro, o auxílio criado para diminuir os impactos econômicos da pandemia do novo coronavírus. O percentual deverá se repetir até o fim de 2020. O recurso deve compensar a ausência do 13º do Bolsa Família este ano, que fez circular R$ 66,5 milhões a mais na economia potiguar em dezembro de 2019. Governo federal não confirmou o pagamento do abono natalino às famílias inscritas no Programa Bolsa Família até o final do mês.

A criação do auxílio, com o início da pandemia do novo coronavírus, ajudou o rendimento das famílias a crescer 3% em relação a 2019. O crescimento é proveniente principalmente das primeiras parcelas, de R$ 600, e do benefício automático para quem já era beneficiário do Bolsa Família. Sem o programa, economistas estimam que a massa de rendimentos cairia 6,1% no Brasil, devido ao aumento do desemprego e ao impacto sobre o trabalho informal.

O governo federal não sinaliza que fará uma renovação, e as famílias que não voltarem ao Bolsa Família poderão ficar sem renda com o aumento do desemprego e recessão da economia, com o aumento da inflação, causadas pela pandemia.

17 de dezembro de 2020 - 8:31h