Sem biometria, eleitores são obrigados a levar documento com foto para votar

As eleições deste ano não terão a utilização da biometria. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu seguir recomendação apresentada pelos infectologistas que prestam consultoria sanitária para as eleições municipais e excluiu a necessidade de identificação biométrica no dia da votação. Por isso, será obrigatório o porte de documento com foto para que o eleitor possa votar.

Desde 2008 que a Justiça Eleitoral tem utilizado a identificação através da impressão digital nas eleições. No entanto, visando minimizar as aglomerações, haja vista que o processo de identificação biométrica é mais lento, e o contato de várias pessoas na mesma superfície durante a pandemia do novo coronavírus, ficou decidido que as eleições de 2020 não teriam a leitura biométrica.

A decisão foi tomada em julho deste ano, quando o presidente do TSE, Luís Barroso, consultou médicos do Hospital Sírio Libanês, da Fundação Fiocruz e do Hospital Albert Einstein e foi aconselhado a tomar a medida. Além disso, também decidiu aumentar em uma hora o tempo da votação, dispensou mesários com mais de 60 anos, além de se comprometer a fornecer EPIs para os mesários e álcool gel nas áreas eleitorais.

Agora, sem a leitura da impressão digital, fica obrigado que os eleitores levem ao local de votação um documento com foto e no período de validade. RG, passaporte e CNH são alguns dos documentos aceitos

19 de outubro de 2020 - 7:41h