Nova pesquisa estima pelo menos 20 mil contaminados pelo coronavírus no RN

Cerca 20 mil potiguares já devem ter se infectado com o novo coronavírus, aponta estimativa divulgada na última sexta-feira (8) pelo Imperial College de Londres, uma das principais instituições de pesquisa do mundo.

A estimativa do instituto científico, que analisou números de 16 Estados brasileiros, é de que 4,2 milhões de pessoas estejam contaminadas em todo o Brasil.

Ainda de acordo com o estudo, o Rio Grande do Norte tem 0,56% da população contaminada. A margem de confiabilidade da pesquisa é de 95%. Desta forma, o número de potiguares infectados pode estar entre 14,7 mil e 23,7 mil.

Os números do Imperial College são 10 vezes maiores que o atual número de infectados no Rio Grande do Norte. Dados da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) registram 1.930 casos da doença. A disparidade pode estar relacionada com a capacidade da testagem. Até este domingo (10), apenas 7 mil pessoas foram testadas em território potiguar.

A pesquisa do instituto inglês mostra preocupação com a taxa de reprodução do contágio. Os dados mostram que a pandemia continua em aumento exponencial em todos os 16 Estados brasileiros analisados. Segundo os autores, o número de reprodução do Rio Grande do Norte é de 1,18. O número mais alto é observado no Pará, de 1,90.

O Imperial College alerta que a taxa está acima de 1 em todos esses Estados, o que indica que a epidemia ainda não está controlada. O número de reprodução – a medida da intensidade da transmissão – significa que um indivíduo pode outro indivíduo.

O Imperial College ressalta que, mesmo com o número de mortes – 10.6711 óbitos até este domingo (10) –, o Brasil ainda passa por uma fase incipiente da epidemia. Com isso, afirmam os pesquisadores, os gestores públicos têm de adotar ações mais efetivas para o controle da infecção.

“Embora a epidemia brasileira ainda seja relativamente incipiente em escala nacional, nossos resultados sugerem que ações adicionais são necessárias para limitar a propagação e impedir a sobrecarga do sistema de saúde”, escrevem os autores.

O Imperial College é um dos institutos de pesquisa mais conceituados do mundo em modelagem matemática. A instituição, ainda em março, convenceu o primeiro ministro do Reino Unido, Boris Johnson, de que o isolamento social era a única medida possível para evitar um número catastrófico de mortes no país.

Fonte: Agora RN

12 de maio de 2020 - 7:24h