Produção de álcool gel caseiro traz riscos e confronta legislação

Ácool gel

A produção caseira do álcool em gel é arriscada e contraria a legislação brasileira, avalia o Conselho Federal de Química (CFQ). Com o surto de coronavírus e a falta do antisséptico em diversas farmácias ou supermercados do país, tem circulado pela internet receitas caseiras para produção de álcool em gel a partir do álcool líquido concentrado.

De acordo com a entidade, o uso do álcool líquido em elevadas concentrações aumenta o risco de acidentes que podem provocar incêndios, queimaduras de grau elevado e irritação da pele e mucosas.

Além disso, a venda de álcool líquido em concentrações superiores a 54°GL (Gay-Lussac) é proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) desde 2013, que considerou os riscos oferecidos à saúde pública decorrentes de acidentes por queimadura e ingestão. Para soluções com graduação acima de 54°GL, a norma permite a forma em gel.

Fonte: Agência Brasil

17 de março de 2020 - 17:56h