Suspeita de coronavírus no RN não passou de um mal entendido

A suspeita do primeiro caso de coronavírus no Rio Grande do Norte não passou de um mal entendido. O potiguar Gustavo Pereira, de 25 anos, afirmou que não havia informado que estava com sintomas da doença.

De acordo com Gustavo, durante uma consulta de rotina, seu médico o encaminhou para o isolamento no Hospital Giselda Trigueiro, após observar sintomas e “deduzir” que o jovem estivesse infectado com o vírus.

Gustavo Pereira e é morador de Baía Formosa, no litoral sul do Rio Grande do Norte, e alegou ter tido contato com chineses no dia 23 de janeiro em um hotel da Praia de Pipa, em Tibau do Sul. Ele afirmou ter começado a apresentar febre, tosse e quadro gripal há cerca de uma semana, o que fez com que seu médico o encaminhasse ao Giselda. Atualmente, ele passa por tratamento de leucemia mieloide crônica.

Segundo o infectologista André Prudente, diretor-geral do Hospital Giselda Trigueiro, o caso suspeito está descartado. “Não tem vínculo epidemiológico com a nova doença. Com isso, está clinicamente descartada a suspeita de coronavírus. Além disso, ele não teve contato com possíveis infectados e nem mesmo saiu do País”, justificou.

O paciente relatou ter tido contato com chineses oriundos da cidade de Wuhan, epicentro do surto de coronavírus na China. “No entanto, não conseguimos localizar este chineses que ele [paciente] diz ter tido contato”, pontuou André Prudente. Além disso, o contato teria ocorrido há mais de 14 dias, que é o tempo de incubação do coronavírus, segundo o que foi identificado até agora.

Exames laboratoriais de rotina feitos dentro da unidade hospitalar não detectaram a presença de carga viral. “Esperamos o resultado de um exame mais completo para esta sexta-feira (14), mas já podemos descartar a hipótese do novo vírus”, reforçou o diretor.

Amostras de sangue do paciente foram enviadas também, segundo apurou o Agora RN, para a Fiocruz. O resultado do teste para o coronavírus deve sair em até sete dias, mas, como já houve o diagnóstico de gripe comum, a hipótese de coronavírus já está descartada.

Durante o dia, o paciente chegou a ser colocado em isolamento em uma ala do hospital, mas, já no início da noite, ele foi transferido para uma enfermaria. “Após o descarte do caso, já o retiramos do isolamento”, disse André Prudente.

Nas redes sociais, várias pessoas que dizem conhecer o suposto portador do coronavírus apontam que ele está mentindo sobre o caso. Diversos áudios viralizaram no aplicativo WhatsApp e em perfis do Facebook.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública convocou entrevista coletiva para esta sexta-feira (14), às 8h30, na Escola de Governo, para apresentar as informações sobre a situação do paciente que está em observação no Hospital Giselda Trigueiro.

No Brasil, até agora nenhum caso da doença foi confirmado, segundo o Ministério da Saúde. Nesta quinta-feira, caiu para seis o número de casos suspeitos de novo coronavírus no Brasil. Os casos são monitorados pelo Ministério da Saúde, conforme informações repassadas pelas secretarias estaduais de Saúde de todo o País. O boletim desta quinta-feira trouxe uma redução de cinco casos em relação ao informe anterior. Os casos suspeitos estão concentrados nas regiões Sudeste e Sul, com três investigações em São Paulo, uma no Paraná e duas no Rio Grande do Sul.

Na China, epicentro do surto de coronavírus, o número de casos confirmados da doença subiu para 59,8 mil ontem. Dessas, 1.368 evoluíram para a forma grave da doença e morreram.

Jovem diz que foi encaminhado para o hospital pelo hematologista

Apesar de a Secretaria Estadual de Saúde não ter confirmado a identidade do paciente, o Agora RN apurou que ele se trata de Gustavo Pereira. O jovem conversou por telefone com a reportagem na noite desta quinta-feira e disse que continuava no Giselda Trigueiro, mas fora do isolamento.

Segundo Gustavo, o médico que o atendeu “deduziu” se tratar de um caso suspeito de coronavírus. O jovem negou que tenha indicado isso durante o atendimento.

Ao Agora RN, o jovem contou que foi encaminhado para o hospital após uma consulta de rotina com o seu onco-hematologista. Durante a conversa com o médico, falou que estava com um sangramento nasal e sintomas de gripe. Logo, segundo o rapaz, o médico perguntou se ele havia entrado em contato com estrangeiros nos últimos dias.

“Eu tenho leucemia mieloide crônica. Minha consulta com o médico hematologista já estava agendada para o dia 12 [quarta-feira]. Quando falei sobre o sangramento, ele perguntou se eu tinha entrado em contato com estrangeiros e eu disse que sim, que havia entrado em contato com chineses, argentinos e mexicanos em Pipa no fim de janeiro”, relatou Gustavo.

Foi então que o médico o teria encaminhado para o Giselda.

“Não quis causar pânico no Estado, muito menos ganhar fama e atenção da imprensa. Eu não cheguei lá no hospital afirmando que tinha a doença”, disse o jovem.

Fonte: Agora RN

14 de fevereiro de 2020 - 10:25h