“Combate à violência das torcidas organizadas deve ser reforçado”, diz procurador geral de Justiça do RN

O combate à violência das torcidas organizadas no Rio Grande do Norte ganhou o reforço da Polícia Civil nesta segunda-feira (10). Em reunião na sede do Ministério Público Estadual, a cúpula da Polícia Civil, do próprio MPRN e também da Polícia Militar se uniram para atuar nos jogos que são classificados pelas forças policiais como sendo de risco.

Nos últimos dias, os jogos protagonizados por clubes potiguares foram marcados por violência e agressões. A torcida organizada do América, por exemplo, atacou a Cavalaria da PM com bombas, pedras e garrafas. Após o episódio, a torcida foi proibida de frequentar estádios por 10 partidas.

A reunião desta segunda contou com a presença do procurador geral de Justiça, Eudo Leite, da delegada geral de Polícia Civil, Ana Cláudia Saraiva, do comandante geral da PM, coronel Alarico Azevedo, dos promotores de Justiça Luiz Eduardo Marinho e Emanuel Dhayan, e de auxiliares.

“O objetivo dessa união é trazer paz aos estádios, fazer com que o torcedor comum, que apoia seu time, possa ir às praças esportivas com a devida tranquilidade. Para isso, o combate à violência das torcidas organizadas, ao mau torcedor, deve ser reforçado”, falou o procurador geral, Eudo Leite.

Nos jogos onde seja averiguado que há risco de confronto de torcidas, a Polícia Civil irá reforçar a estrutura que já dispõe para autuar os torcedores envolvidos em confusões. A PM também já antecipou que irá atuar de forma mais incisiva nessas partidas.

Fonte: Agora RN

10 de fevereiro de 2020 - 15:34h