Neoenergia abrirá Escola de Eletricistas para Mulheres no RN

O grupo Neoenergia lançou a Escola de Eletricistas para Mulheres. O projeto inédito no Norte e Nordeste tem sua primeira unidade em Salvador (BA) e chegará ao Rio Grande do Norte através da Cosern até 2020. O projeto está em formatação para, além do Estado potiguar, São Paulo (Elektro) e Pernambuco (Celpe) e, segundo o presidente da Neoenergia, Mário Ruiz-Tagle Larrain, as parcerias necessárias serão fechadas ainda neste segundo semestre.

Na Coelba (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia), empresa gerida pelo grupo Neoenergia, a Escola de Eletricistas para Mulheres abriu inscrições nesta segunda-feira. Serão 100 vagas, divididas em turmas de 25 mulheres cada. O processo seletivo será constituído de cinco etapas de avaliação das candidatas, de caráter eliminatório e classificatório.

Quem for selecionada terá pela frente 596 horas de capacitação específica para redes de distribuição e instalações prediais, a oportunidade de, ao final do curso, ingressar no banco de talentos da Coelba. Elas também recebem, gratuitamente, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). O curso é gratuito e tem parceria do Sistema S, através do Senai (Serviço Nacional de Aprendiagem Industrial), do Governo da Bahia e de entidades como Pracatum, Fábrica Cultural, Bloco Afro Olodum, Associação das Comunidades da Mata Escura e Calabetão (Acopamec) e Movimento Cultural do Subúrbio.

No RN, o grupo Neoenergia, segundo seu presidente, deve iniciar entendimentos, principalmente, com o Governo do Estado e Fiern para fechar parcerias. Pra ingressar, a mulher precisa ter concluído o Ensino Médio, ter no mínimo 18 anos na data de inscrição e residir no Estado em que o curso está sendo aberto.“Esse projeto começa aqui, na Bahia, a mudar a realidade da desigualdade de gênero, nesse campo”, afirmou o diretor presidente da Coelba, Fulvio Machado. “Segurança é um valor que está acima de tudo para nós e as mulheres têm um papel destacado nisso. Sempre falo que trabalhar com energia elétrica tem que ter medo, porque a confiança é que gera o perigo da eletropressão. Então, claramente, para nós, a mulher tem essa capacidade que, às vezes, o homem se perde, pela autoconfiança”, afirma Mário Ruiz-Tagle. A Neoenergia tem, atualmente, 27 escolas de público misto, nos Estados onde tem atividade, com 25 turmas em andamento, 659 alunos formados e 351 alunos contratados pelo grupo, após o fim da capacitação. O planejamento é de atingir 43 escolas em 2020, com 141 turmas, 2.462 alunos formados e 2.284 novas vagas de eletricistas nas quatro distribuidoras. Ao participar da solenidade de lançamento da Escola de Eletricistas para Mulheres, o governador da Bahia, Rui Costa (PT) disse que a iniciativa é muito importante para a igualdade de gênero. “É uma capacitação que vai abrir oportunidade, vai gerar oferta de profissionais capacitados e ajuda muito ao estado na formação de mão-de-obra”, disse. Investimentos O grupo Neoenergia prevê investimentos da ordem de R$ 25 a 30 milhões no Brasil, durante os próximos cinco anos. Do total, segundo Mário Ruiz-Tagle, 60% vai ser alocado para as empresas distribuidoras na BA, RN, PE e SP. Do valor total, disse ele, deve ser alocado à Cosern entre R$ 600 a 700 mil, a cada ano, nos próximos cinco anos. Os recursos, segundo ele, serão alocados de acordo com o plano de investimento de cada companhia, que “estão focados, fundamentalmente, nas melhorias de rede e da qualidade de serviços”

20 de agosto de 2019 - 10:36h