Empresário se suicida na frente do governador de Sergipe e do ministro de Minas e Energia

A Cerâmica Escurial vinha enfrentando dificuldades há algum tempo e atualmente está em recuperação judicial. A empresa passou a consumir gás com pagamento antecipado e há cerca de dois meses paralisou as atividades por falta de condições de caixa.

Belivaldo Chagas lamentou a morte do empresário e disse: “Vida que segue”. Antes de se matar, Gitz chamou o governador de “mentiroso”. Belivaldo responsabilizou a Petrobrás pelos preços do gás praticados pela Sergas.

O governo do Estado de Sergipe lamentou o ocorrido nas redes sociais e informou que o evento estava cancelado: “O Governo do Estado de Sergipe lamenta o ocorrido com o empresário Sadi Gitz, da cerâmica Escurial, que cometeu suicídio durante o evento. Por conta do ocorrido, o Simpósio de Oportunidades para o novo cenário do gás natural em Sergipe está cancelado”.

Fonte: Estadão

5 de julho de 2019 - 0:28h